Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência da fragmentação de DNA espermático no desenvolvimento embrionário inicial

Processo: 21/03753-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2021
Vigência (Término): 31 de julho de 2023
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Ricardo Pimenta Bertolla
Beneficiário:Mika Alexia Miyazaki
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Embriogênese   Estresse térmico   Varicocele   Reprodução humana   Fragmentação do DNA

Resumo

Alguns parâmetros seminais como a concentração, motilidade e a morfologia são muito utilizados para estudar a infertilidade masculina. Entretanto, nos últimos anos foram observados que anormalidades genéticas e epigenéticas vêm influenciado negativamente os resultados reprodutivos e contribuindo para o diagnóstico de infertilidade masculina idiopática. Dente elas, destacamos a fragmentação de DNA espermático, fenômeno comum mas que em grande quantidade leva a diminuição da capacidade reprodutiva masculina. Entre as principais causas da fragmentação de DNA podemos citar o estresse oxidativo, as irregularidades na protaminação, apoptose abortiva e elevação da temperatura testicular e epididimária. Estudos demonstram que o genoma paterno tem papel fundamental em eventos no início do desenvolvimento embrionário como na regulação epigenética, clivagem, implantação e principalmente na formação da placenta e tecidos extra-embrionários, uma vez que eles sofrem imprinting genômico, fenômeno em que a expressão de um alelo do gene depende da sua origem parenteral. Destacamos a PEG1, PEG3, PEG9, PEG10 e PEG11, genes que sofrem imprinting paterno e são fundamentais na formação da placenta. A ausência dos mesmos pode resultar em anormalidades placentárias e restrição de crescimento fetal. Este trabalho tem como objetivo esclarecer o efeito do grau de fragmentação na expressão destes genes no espermatozoide. Para isto, será feito o PCR quantitativo, Ensaio de Cometa Alcalino e o Teste TUNEL, utilizando o modelo animal de ratos expostos a temperaturas elevadas e induzidos a varicocele. Além disso, para verificar os resultados na reprodução in vitro, serão calculados as taxas de fertilização, de clivagem e de formação de blastocistos

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)