Busca avançada
Ano de início
Entree

Suprapartículas luminescentes como potenciais sensores multifuncionais

Processo: 21/11013-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2021
Vigência (Término): 30 de novembro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Inorgânica
Pesquisador responsável:Paulo Cesar de Sousa Filho
Beneficiário:Alexia Lanza Nunes
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Materiais nanoestruturados   Terras raras   Luminescência   Termometria   Sensores ópticos   Terapia fotodinâmica

Resumo

Nanopartículas dopadas com lantanídeos apresentam aplicações emergentes em virtude de sua luminescência sob excitação tanto no ultravioleta quanto no infravermelho próximo, com aplicabilidade ajustável através de morfologia, composição de dopantes e funcionalização de superfície, por exemplo. Contudo, a obtenção de sólidos com emissões ajustáveis de acordo com a excitação para a combinação de múltiplas propriedades fotofísicas é frequentemente complexa em termos sintéticos, exigindo repetidos procedimentos de crescimento epitaxial sobre as partículas. Como forma de se contornarem tais dificuldades, propõe-se neste projeto a elaboração de técnicas para a agregação controlada de nanopartículas luminescentes em estruturas conhecidas como suprapartículas. Serão sintetizadas estruturas submicrométricas (200-400 nm) baseadas na combinação de nanopartículas de vanadatos de terras raras (40-50 nm) de diferentes composições, buscando-se obter conjuntos de emissões ortogonais e seletivamente ativados de acordo com o comprimento de onda de excitação (980 nm para YVO4:Yb3+/Tm3+/Ho3+ ou 1550 nm para YVO4:Er3+). As intensidades relativas dos conjuntos de emissões das suprapartículas serão controladas ajustando-se a proporção entre as nanopartículas componentes. Consequentemente, um dos conjuntos de emissões poderá ser utilizado para o monitoramento local da temperatura, enquanto o outro será empregado para excitar corantes fotoquimicamente ativos ancorados nas superfícies das suprapartículas. Dessa forma, pretende-se obter sistemas multifuncionais combinando termometria e geração localizada de espécies reativas de oxigênio, com grande potencialidade para novas aplicações em terapia fotodinâmica. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)