Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da eficácia do treinamento desenvolvido em estúdio e confiabilidade das escalas numérica, CMPS-SF e UMPS para avaliação da dor aguda em cães e da escala abreviada de sedação em cães

Processo: 21/12117-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2021
Vigência (Término): 30 de novembro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária
Pesquisador responsável:Stelio Pacca Loureiro Luna
Beneficiário:Teubislete Ferreira Borges
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/12815-0 - Dor e qualidade de vida em animais, AP.TEM
Assunto(s):Anestesiologia veterinária   Bem-estar do animal   Analgesia   Treinamento físico   Sedação consciente   Eficácia   Escalas   Cães   Estudo clínico

Resumo

Este estudo clínico, prospectivo, pragmático, encoberto e oportunista, o qual faz parte do projeto temático FAPESP 2017/12815-0, irá avaliar a interferência do treinamento na confiabilidade das escalas de sedação, escala numérica, Forma Curta da Escala de Glasgow para avaliação da dor aguda em cães e Escala da Universidade de Melbourne. Serão selecionados trinta avaliadores, sendo um deles a aluna de iniciação científica, subdivididos entre os grupos "padrão-ouro", "graduandos", "residentes", "pós-graduandos", "cirurgia" e "clínico", que avaliarão 80 vídeos de 20 cães, condizentes com os momentos basal (M1), filmado 12 horas após a adaptação ao ambiente e pré-operatório para evitar a interferência do jejum, maior dor (M2), filmado entre uma a oito horas pós-extubação, pós-analgesia (M3), filmado 1 hora após a analgesia de resgate e 24 horas pós-extubação (M4). Dez cães serão avaliados nas fases pré- e pós-treinamento, com duas etapas para cada avaliação, intervaladas de quinze dias entre si para não haver interferência da memória. Nas duas avaliações, dois cães serão do grupo controle, quatro do grupo ortopedia e quatro do grupo tecidos moles, com equivalência dos escores de dor entre as etapas. Considerar-se-á ± 5% e avaliar-se-á a repetibilidade e reprodutibilidade antes (pret.t) e após (pos.t) o treinamento das escalas numérica pelo coeficiente Kappa ponderado e IC95%. Para avaliar a escala abreviada de sedação e as escalas de Glasgow (CMPS-SF) e Melbourne (UMPS), aplicar-se-á o coeficiente de correção intraclasse (ICC) "two-way" e IC95%. Para avaliar a eficácia do treinamento em estúdio, aplicar-se-á o teste de Feldt e será instituída a diferença significativa quando o valor de F for maior que o valor crítico de ± = 0,01. Os avaliadores serão considerados aptos a avaliar a sedação e a dor em cães quando atingirem confiabilidade inter- e 0,80 com relação ao grupo "padrão-ouro". Para avaliar a interferência de gênero e pontuações variáveis dependentes dentre os diferentes grupos, utilizar-se-ão testes de Wilcoxon (paramétricos) ou Mann-Whitney (não-paramétricos) com a finalidade de testar a diferença entre as duas avaliações de cada etapa. Por fim, a responsividade das escalas será avaliada por meio do teste de Friedman entre todos os momentos e grupos e, realizar-se-ão análises separadas entre M1 x M2 para verificar se concordam na identificação de comportamentos relacionados com sedação e dor aguda. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)