Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise transcriptômica de genes relacionados a biomineralização e motilidade em mixozoários parasitos de peixes

Processo: 21/06692-8
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2022
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca - Recursos Pesqueiros de Águas Interiores
Pesquisador responsável:Edson Aparecido Adriano
Beneficiário:Maria Isabel Muller Formico
Supervisor no Exterior: Stephen Douglas Atkinson
Instituição-sede: Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas (ICAQF). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Diadema. Diadema , SP, Brasil
Local de pesquisa: Oregon State University (OSU), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:17/16546-3 - Sistemática e distribuição de mixosporídeos em Potamotrygonidae (Elasmobranchii, Myliobatiformes) nas Bacias Amazônica, Platina e Parnaíba., BP.PD
Assunto(s):Biomineralização   Filogenia   Motilidade   Transcriptoma   Parasitos   Myxozoa

Resumo

Myxozoa é um grupo diverso de parasitos de peixes filogeneticamente relacionado com águas-vivas e corais (Filo Cnidaria). Comparado com seus primos de vida-livre, os mixozoários são morfologicamente simples e diminutos, evoluíram um ciclo de vida parasitário complexo envolvendo hospedeiros vertebrados e invertebrados. A transmissão entre hospedeiros invertebrados e vertebrados ocorre por meio de estágios de esporos resistentes compostos de células valvulares externas rígidas, que protegem as células infectantes internas contra condições ambientais externas adversas. A estrutura celular da válvula rígida em Myxozoa pode ser sustentada por biomineralização, possivelmente envolvendo silício, ao contrário de seus parentes cnidários de vida livre, que usam cálcio. Quando encontram um hospedeiro, os esporos de mixozoários disparam seus nematocistos, as células valvares se dividem e o esporoplasma móvel invade o hospedeiro. Os mixozoários têm mobilidade no nível celular e, às vezes, no nível do organismo inteiro. Este movimento ativo é necessário para a invasão, migração através dos tecidos do hospedeiro e evasão do sistema imunológico conforme o parasita se multiplica no hospedeiro. Aqui, nossa proposta é desenvolver conjuntos de dados transcriptômicos para os parasitas Ceratomyxa sp. e Henneguya piaractus que infectam peixes sula-mericanos, visando explorar as bases genéticas de seus ciclos de vida e patologias. Especificamente, iremos identificar e conduzir análises filogenéticas de genes de biomineralização desses mixosporídeos brasileiros comarando com outros mixozoários e de cnidários de vida livre para elucidar sinais evolutivos para esses genes e descobrir correlações hospedeiro-parasita-tecido. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)