Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da expressão da anexina A1 e do inflamassoma NLRP3 na colite ulcerativa e Doença de Crohn

Processo: 21/06059-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2021
Vigência (Término): 31 de outubro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Pesquisador responsável:Cristiane Damas Gil
Beneficiário:Henrique Toshiaki Koga Ito
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Doença de Crohn   Inflamação   Anexina A1   Transcriptoma   Mastócitos   Leucócitos   Biópsia   Imuno-histoquímica

Resumo

A anexina A1 (ANXA1) é uma proteína anti-inflamatória e pró-resolutiva na resposta inflamatória por meio do controle da migração de leucócitos, liberação de citocinas pró-inflamatórias e da fagocitose pelos macrófagos. Além disso, a ANXA1 regula a ativação do inflamassoma NLRP3 em células inflamatórias, mas esta relação não foi explorada nas células relacionadas com as doenças inflamatórias intestinais. Assim, este estudo investigará os padrões de expressão dos RNAm e das proteínas ANXA1 e inflamassoma NLRP3 em biopsias de intestino de pacientes com colite ulcerativa e Doença de Crohn. Nas biópsias de intestinos acometidos por uma das doenças ou controles analisaremos: I) histopatologia das amostras por meio da coloração de hematoxilina-eosina; II) quantificação de células inflamatórias; III) localização e possível alteração da expressão da ANXA1 e NLRP3 por meio de imuno-histoquímica; e III) possível co-localização da ANXA1 e NLRP3 por imunofluorescência. Nos transcriptomas publicamente disponíveis do repositório Gene Expression Omnibus (GEO), avaliaremos os níveis transcricionais da ANXA1 e NLRP3 utilizando estudos de intestino de pacientes com Doença de Crohn, colite ulcerativa e controles. Os resultados contribuirão para o melhor entendimento do papel da ANXA1 e do NLRP3 nas doenças inflamatórias intestinais, assim como possíveis alvos terapêuticos para os processos inflamatórios do intestino. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)