Busca avançada
Ano de início
Entree

Obtenção e caracterização de anticorpos monoclonais recombinantes não glicosilados contra pontos de controle imunológico, para uso como moléculas terapêuticas antitumorais e antivirais

Processo: 21/04307-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2021
Vigência (Término): 30 de setembro de 2023
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Pesquisador responsável:Daniela Luz Hessel da Cunha
Beneficiário:Gabriel Correia Lima
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Biotecnologia   Anticorpos monoclonais   Checkpoint imunológico   Proteínas recombinantes   Sistema imune   Anticorpos de cadeia única

Resumo

Pontos de controle imunológico ou checkpoints imunológicos, são receptores de regulação negativos expressos nas células imunes. Sob condições fisiológicas normais, sua função é servir de freios para o sistema imunológico, mantendo a auto tolerância e prevenindo danos aos tecidos. Entretanto, essas moléculas também participam de mecanismos de escape ao sistema imune, causando disfunções nas populações de células T, em uma variedade de doenças como câncer e infecções virais, incluindo a causada pelo vírus SARS-CoV-2. O bloqueio destes receptores inibitórios com anticorpos monoclonais é utilizado em terapias que almejam resgatar a atividade de células efetoras cronicamente exauridas, a fim de restabelecer a resposta do sistema imune. Atualmente, existem seis pontos de controle imunes envolvidos com infecção viral, além do histórico como imunoterapia antitumoral, entre eles, PD-1, LAG-3 e TIM-3 se destacam pelo envolvimento com alterações das funções dos linfócitos T em doenças como HIV, gripe, hepatite e a COVID-19. Neste contexto, este projeto propõe a obtenção e caracterização de anticorpos monoclonais recombinantes contra bloqueadores dos pontos de controle imunológico PD-1, TIM-3 e LAG-3, a partir de seleção por phage display, utilizando uma biblioteca de anticorpos humana sintética, e sua posterior expressão procariótica em linhagem de E. coli SHuffle, geneticamente adaptada para expressão citoplasmática de anticorpos monoclonais não-glicosilados. Tais anticorpos, após caracterizados quanto sua sensibilidade e especificidade, serão testados sozinhos ou em conjunto, como alternativas terapêuticas de ativação de linfócitos T em doenças como câncer e infecções virais, incluindo uma possível terapia para casos graves de COVID-19. A presente proposta portanto, consiste da inovação na obtenção de anticorpos recombinantes não glicosilados, produzidos em bactérias, abrindo novas possibilidades terapêuticas contra problemas atuais e futuros, visto que, uma vez padronizada a seleção de anticorpos contra esses pontos de controle imunológico, permitirá sempre que necessário testar um novas moléculas, pois haverá uma plataforma estabelecida para isso. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)