Busca avançada
Ano de início
Entree

As marcas de correções textuais: limites e potencialidades reveladas pelas correções docentes

Processo: 21/06003-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2021
Vigência (Término): 31 de agosto de 2022
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Educação - Ensino-aprendizagem
Pesquisador responsável:Ana Luzia Videira Parisotto
Beneficiário:Clara Sanches Sebastião
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente , SP, Brasil
Assunto(s):Ensino fundamental   Ensino de língua portuguesa   Texto   Professores   Avaliação da aprendizagem

Resumo

Um aspecto importante, quando se estuda o ensino de produção textual, está relacionado à correção e avaliação realizadas pelos professores. Muitas vezes, ao considerar a língua sob uma perspectiva de código, os professores corrigem os textos somente observando aspectos gramaticais. Todavia, quando se compreende que ensinar o aluno a produzir textos implica municiá-lo com algo que vai além do conhecimento de regras gramaticais, tal ensino pode trazer novos desafios para o professor. Observando especificamente aspectos relacionados à avaliação e correção de textos, alguns pesquisadores já estabeleceram um importante percurso ao considerarem, por exemplo, o papel dos critérios de avaliação (SUASSUNA, 2017), as abordagens de revisão textual dialógica (GASPAROTTO; MENEGASSI, 2020), a concepção dos professores de ensino fundamental sobre revisão textual (SPINILLO; CORREA, 2016), dentre outros. Assim, esta pesquisa parte da necessidade de estarmos atentos aos aspectos relacionados à correção e à avaliação de textos, mais especificamente às marcas de correção efetuadas por professores, em textos de alunos de quartos e quintos anos do Ensino Fundamental de duas escolas públicas do município de Presidente Prudente/SP, perfazendo um total de 40 produções textuais. Já que consideramos que o tipo de correção adotado pelo professor pode propiciar ao aluno o redebruçar-se sobre seu texto, pois algumas correções favorecem a reescrita, suscitam reflexões e contribuem para a formação do produtor de textos. As questões que se colocam para esta pesquisa são: Como se caracterizam as marcas de correção docente presentes em textos produzidos por alunos de quartos e quintos anos do Ensino Fundamental? Quais marcas de correção trazem potencialidades para a melhoria do texto, extrapolando aspectos meramente gramaticais? Quanto aos objetivos, elencamos como objetivo geral: analisar e descrever como se materializam as marcas de correção docente no corpus pesquisado e as potenciais contribuições para revisões de texto que extrapolem a dimensão ortográfico-gramatical. Já os objetivos específicos dizem respeito a: a) verificar e categorizar as marcas de correção docente, à luz dos estudos de Serafini (1995) e Ruiz (2015), presentes nos textos de estudantes dos quartos e quintos anos do Ensino Fundamental, oriundos de um banco de produções textuais; b) Evidenciar inconsistências e avanços no processo avaliativo, a partir dos comentários realizados pelo professor no texto do aluno; c) Cotejar os resultados oriundos da pesquisa com o preconizado na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) (BRASIL, 2018), no eixo da Produção de textos, no ensino fundamental. Esta investigação caracteriza-se como uma pesquisa de abordagem qualitativa com enfoque descritivo-analítico. O corpus de análise desta pesquisa será composto por quarenta produções textuais escritas por alunos de quartos e quintos anos do Ensino Fundamental, oriundos de escolas públicas do município de Presidente Prudente/SP. As produções que serão analisadas fazem parte de um banco de produções de textos organizado por outras pesquisas interligadas ao Grupo de Pesquisa "Formação de professores e Práticas de Ensino na Educação Básica e Superior - FPPEEBS". Vale ressaltar que as produções selecionadas para compor o nosso corpus de pesquisa ainda não foram analisadas na perspectiva que estabelecemos para este estudo. Dessa forma, a partir dos dados gerados, ou seja, do levantamento das marcas de correção docente e das potenciais contribuições para revisões de texto que extrapolem a dimensão gramatical, seguir-se-ão as etapas de análise e interpretação dos elementos fornecidos. Os dados serão tabulados, categorizados e analisados à luz dos estudos de Serafini (1995) e Ruiz (2015), bem como de outros autores, cujas pesquisas são relevantes para o entendimento da avaliação e da correção de textos produzidos por alunos. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)