Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência de pectinas do mamão papaia na resposta inflamatória em modelos 3D da mucosa colorretal humana

Processo: 21/07292-3
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 12 de novembro de 2021
Vigência (Término): 11 de novembro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:Joao Paulo Fabi
Beneficiário:Janaina Lombello Santos Donadio
Supervisor no Exterior: Rosangela Mezghanni
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa: University of Maryland, Baltimore (UMB), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:19/18794-0 - Efeito das fibras alimentares do mamão papaia em modelo de co-cultura 3D de células de Câncer de Cólon e em modelo in vivo de ratos com Carcinogênese de Cólon quimicamente induzida, BP.PD
Assunto(s):Neoplasias colorretais   Citocinas   Organoides

Resumo

O câncer de cólon é um dos maiores problemas de saúde mundialmente. O consumo de fibras alimentares foi associado com uma redução do risco desse tipo de câncer, especialmente as fibras solúveis como as pectinas. As fibras do mamão papaia foram relacionadas com diversas atividades anticancerígenas e anti-inflamatórias em modelos celulares 2D, tais como indução da apoptose, parada do ciclo celular e regulação da expressão de receptores do tipo toll-like. Esses receptores são essenciais para a resposta imune inata, reconhecendo uma diversidade de moléculas comuns a diversos patógenos, com o consequente estímulo da produção de diversas citocinas pró- e anti-inflamatórias. No entanto, os efeitos biológicos das pectinas em modelos experimentais mais relevantes e complexos, como os organoides, ainda não foram estudados.Sendo assim, esse projeto tem como objetivo avaliar o efeito das pectinas do mamão papaia na expressão de citocinas inflamatórias usando dois modelos 3D de organoides: o multicelular feito com bioengenharia e o organoide derivado da mucosa do cólon em monocamada.As pectinas do mamão verde e maduro, e a pectina modificada de citrus (MCP) serão usadas para tratar os organoides nos dois modelos. A expressão de citocinas inflamatórias será feita por ELISA. Os organoides antes e depois dos tratamentos serão submetidos a cortes e marcação histológica e ensaios de imunofluorescência e imunohistoquímica.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)