Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de nanovacinas proteicas que se auto-estruturam baseadas na proteína spike do SARS-CoV-2 para indução de resposta humoral em modelo murino

Processo: 21/06974-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2021
Vigência (Término): 31 de agosto de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia
Pesquisador responsável:Luis Carlos de Souza Ferreira
Beneficiário:Samantha Carvalho Maia Brito
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Infecções por Coronavirus   SARS-CoV-2   COVID-19   Glicoproteína da espícula de Coronavirus   Vacinas contra COVID-19   Nanopartículas   Anticorpos antivirais   Self-assembling protein nanoparticles   Ensaio de imunoadsorção enzimática

Resumo

Diante da atual pandemia de COVID-19, o desenvolvimento de estratégias vacinais contra o vírus SARS-CoV-2 é uma prioridade. Considerando que os grupos de risco são prioritários, é essencial desenvolver estratégias vacinais com um bom perfil de segurança. Nesse contexto, as vacinas de subunidades podem representar uma opção promissora por serem mais seguras, ainda que frequentemente pouco imunogênicas, o que pode ser contornado com o uso de adjuvantes e nanopartículas (NPs). Neste projeto, propomos o desenvolvimento de nanovacinas do tipo Self Assembling Protein Nanoparticles (SAPNs) usando como antígeno uma versão modificada do domínio de ligação ao receptor (RBD) da proteína Spike, uma proteína estrutural de SARS-CoV-2 que tem se mostrado o principal alvo para o desenvolvimento de vacinas. O fragmento de RBD será modificado pela inserção de peptídeos que favorecem a indução de anticorpos neutralizantes, bem como de sequências curtas de peptídeos que conferem a habilidade de se auto-estruturarem em nanopartículas. Tais nanovacinas serão produzidas em sistema eucarioto visando preservar as modificações pós-traducionais, e seu potencial de induzir resposta humoral será avaliado em camundongos C57BL/6 pela via intramuscular combinadas ou não a adjuvantes, utilizando ensaio de imunoabsorção enzimática (ELISA) para quantificar os anticorpos antígeno-específicos presentes no soro dos animais imunizados. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)