Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos do tratamento com progesterona na inflamação intestinal em modelo experimental de isquemia e reperfusão por oclusão aórtica em ratos machos

Processo: 21/05991-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2021
Vigência (Término): 31 de agosto de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Cristiano de Jesus Correia
Beneficiário:Ivana Ramires Fraga
Instituição-sede: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Isquemia e reperfusão   Microcirculação   Progesterona

Resumo

A isquemia é caracterizada pela redução do fluxo sanguíneo de maneira generalizada bem como para uma área ou órgão especifico, levando a diminuição da oferta de oxigênio e nutrientes, desencadeando o processo inflamatório podendo causar a morte celular. Para a reversão do quadro isquêmico é essencial o restabelecimento da circulação, porém a restauração do fluxo, apesar de prevenir a morte celular é responsável por agravar os danos já estabelecidos durante a isquemia, causando disseminação sistêmica de produtos tóxicos gerados durante a fase de reperfusão tecidual. Dentre os órgãos do sistema gastrointestinal, o intestino é possivelmente o mais sensível, pela quantidade de células lábeis facilmente lesadas por episódios de isquemia. Diversos trabalhos clínicos e experimentais sugerem que os hormônios sexuais intervêm no curso da lesão inflamatória desencadeada pelo processo de isquemia e reperfusão. Estudos realizados nos últimos anos apontam que a resposta ao choque, trauma e sepse pode divergir entre machos e fêmeas, constatando que as fêmeas são mais resistentes que os machos. Deste modo o objetivo desse projeto será investigar o efeito do tratamento com progesterona na lesão mesentérica no modelo de isquemia e reperfusão aórtica em ratos. Portanto planejamos investigar: (1) determinar a atividade de mieloperoxidase e a permeabilidade microvascular no intestino; (2) investigar a expressão protéica das isoformas da sintase do óxido nítrico (iNOS e eNOS) e da endotelina-1 nos vasos do mesentério; (3) avaliar o leucograma, parâmetros hemodinâmicos e gasométricos; (4) determinar a concentração plasmática de progesterona.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)