Busca avançada
Ano de início
Entree

Aplicação de bioformulações no estipe da palmeira cabbage (Sabal palmetto) por endoterapia

Processo: 20/01977-1
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2021
Vigência (Término): 30 de novembro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Pesquisador responsável:Sonia Claudia Do Nascimento de Queiroz
Beneficiário:Jordana Alves Ferreira
Supervisor no Exterior: Brian William Bahder
Instituição-sede: Embrapa Meio-Ambiente. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA). Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Brasil). Jaguariúna , SP, Brasil
Local de pesquisa: Ft. Lauderdale Research & Education Center, Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:17/22110-3 - Desenvolvimento de dispositivo para aplicação endoterápica otimizada de defensivos agrícolas no estipe de coqueiro (Cocos nucifera Linn.) e avaliação da translocação destes em suas folhas e frutos, BP.PD
Assunto(s):Reação em cadeia da polimerase via transcriptase reversa quantitativa (qRT-PCR)   Translocação

Resumo

Muitas espécies de palmeiras têm sido suscetíveis a doenças bacterianas que, após serem infectadas, levam à morte em meses, sem chance de recuperação após adoecer. Essas doenças são transmitidas e disseminadas por insetos sugadores como Haplaxius crudus. Esses insetos injetam bactérias (fitoplasma) através das glândulas salivares quando se alimentam de floema nas folhas de uma palmeira, causando a doença do bronzeamento letal (LB). Nesse cenário, milhares de palmeiras morreram, como a palmeira cabbage (Sabal palmetto), palmeira ícone da Flórida, bem como, começaram a se espalhar no coqueiro (Cocos nucifera). Algumas medidas preventivas podem ser tomadas, mas uma vez infectadas, a remoção da árvore é a única solução prática. Atualmente, para o desenvolvimento deste projeto, a palmeira cabbage se torna o palmácea elegível para este estudo devido ao número de plantas disponíveis, pois o fitoplasma está presente e ativo na estação. Neste projeto de pesquisa BEPE já previsto na submissão do pedido de bolsa no grupo de prof. Dr. Bahder, propomos o uso de bioformulações com ação inseticida e bactericida para controle da LB usando uma tecnologia de aplicação endoterápica brasileira. Assim, a avaliação da eficiência agronômica será realizada após a aplicação dos biopesticidas através da análise da folha de lança e/ou dos tecidos foliares mais novos totalmente expandidos por meio de ensaios de qPCR. Isso tornará possível entender como afeta as palmeiras seja como uma medida preventiva e de controle na Flórida, e que pode ser aplicável a qualquer outra palmácea, incluindo os coqueiros, independentemente de onde estejam. A bolsa BEPE nos permitirá avançar nos resultados deste projeto de pós-doutorado e expandir nosso conhecimento em análise sob uma perspectiva agronômica com técnicas ecológicas em um contexto patossistema na interação patógeno-hospedeiro e suscetibilidade. Embora o LB seja uma doença quarentenária A1 no Brasil, o país ainda não possui medidas de contenção e prevenção para controlar e/ou eliminar se a doença aparecer. Portanto, com a confirmação da presença ativa da doença nos Estados Unidos, este projeto pode corroborar e ajudar os países com essa doença em palmáceas.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)