Busca avançada
Ano de início
Entree

Atividade anti-inflamatória e transporte de microRNA pelas lipoproteínas de densidade alta (HDL) no Câncer de Mama: associação com o prognóstico da doença predito pela classificação molecular do tumor

Processo: 21/02401-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2021
Vigência (Término): 31 de maio de 2025
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Marisa Passarelli
Beneficiário:Monique de Fatima Mello Santana
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Neoplasias mamárias   HDL-Colesterol   Inflamação   MicroRNAs

Resumo

A etiopatogenia do câncer de mama é diversa e a classificação molecular dos tumores e o cálculo de escore de recorrência são utilizados como base para o prognóstico e escolha terapêutica. Lipoproteínas de densidade alta (HDL) associam-se inversamente com a gênese tumoral, por modularem o conteúdo de lípides, necessário à replicação, adesão e migração tumoral, e desempenharem funções antioxidantes e anti-inflamatórias. Além disso, as HDL transportam microRNA (miR) capazes de controlar a expressão de diferentes proteínas e cuja expressão diferencial assume grande relevância na gênese e progressão tumoral. No presente projeto, pretende-se avaliar em mulheres recém-diagnosticadas com câncer de mama a concentração de miR em HDL e atividade anti-inflamatória destas lipoproteínas. Serão incluídas pacientes do sexo feminino, entre 18 e 80 anos de idade (n = 200), com diagnóstico recente de câncer de mama, virgens de tratamento e com a classificação molecular e estadiamento prognóstico clínico do tumor de I a III. Mulheres saudáveis na mesma faixa etária, pareadas por idade e índice de massa corporal serão incluídas como grupo controle (n = 200). A HDL será isolada do plasma por ultracentrifugação e utilizada em incubações com macrófagos estimulados com lipopolissacarídeos para avaliação de sua capacidade em inibir a secreção de citocinas inflamatórias. Os mRNA- alvo de cada miR serão determinados e correlacionados com o perfil expressão diferencial associado com o câncer de mama. Os parâmetros analisados serão associados com o prognóstico do tumor, determinado por sua classificação molecular. Os resultados serão importantes para determinar se miR transportados pela HDL podem ser utilizados na predição da evolução do câncer de mama, em associação com sua classificação molecular; além de prover informações sobre a funcionalidade da HDL a qual pode modular a evolução da doença. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)