Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito do uso do Limoneno associado a vitrocerâmica bioativa na interface dentina/adesivo.

Processo: 21/04598-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2021
Vigência (Término): 31 de agosto de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Materiais Odontológicos
Pesquisador responsável:Fernanda de Carvalho Panzeri Pires de Souza
Beneficiário:Arthur Henrique Garcia Pinto
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Limonenos   Adesivos dentinários

Resumo

Este estudo tem por objetivo avaliar o efeito do uso do extrato de limoneno associado ao Biosilicato na resistência de união à dentina. Foi realizado um estudo piloto para determinar a concentração e tempo de aplicação do limoneno mais eficientes. Assim, foram testados extratos de limoneno nas concentrações de 0,5% e 1%, aplicados sobre a superfície dentinária por 30 segundos ou 1 minuto com o auxílio de microbrush. O substrato foi caracterizado por meio da microscopia eletrônica de varredura (MEV, EVO MA10, ZEISS). As imagens obtidas demonstraram que a aplicação do extrato na concentração de 0,5% com um microbrush por 30 segundos de forma ativa resultou em uma dentina mais definida e uniforme. Esse protocolo será utilizado para verificação da resistência de união dentina/adesivo. Para isso, serão selecionados 80 molares humanos hígidos e preparadas cavidades oclusais (5 mm x 4 mm x 4 mm) utilizando brocas carbide. Na sequência, todos os dentes serão aleatoriamente separados em 4 grupos, conforme o tratamento recebido antes do sistema adesivo (Single Bond Universal, 3M ESPE): Grupo Controle - Sistema Adesivo; Grupo LIM - Extrato de limoneno; Grupo Bio - Suspensão de Biosilicato a 10%; Grupo LIMBio - limoneno + Bio. Após os procedimentos restauradores (Filtek Z350XT, 3M ESPE), as amostras serão seccionadas em formato de palitos, divididos e armazenados em água destilada a 37 °C por 24 horas e 6 meses. Após esses períodos de armazenamento, serão submetidos ao teste de microtração (0,5 mm/min). Os dados serão analisados segundo o teste estatístico mais apropriado. Os padrões de fratura serão observados com microscópio digital (VH-M100, Keyence) e a interface adesiva através da MEV.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)