Busca avançada
Ano de início
Entree

Impacto de modificações pós-traducionais de proteínas em células humanas com lesões no genoma e transformação celular

Processo: 21/09294-3
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2021
Vigência (Término): 31 de agosto de 2023
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Mutagênese
Acordo de Cooperação: Organização Holandesa para a Pesquisa Científica (NWO)
Pesquisador responsável:Carlos Frederico Martins Menck
Beneficiário:Fernanda Marques Câmara Sodré
Instituição Sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:19/19435-3 - Papel de danos no DNA e função mitocondrial em envelhecimento vascular, imune e neurológico (DNA MoVINg), AP.TEM
Assunto(s):Xeroderma pigmentoso   Processamento de proteína pós-traducional   Oxidação   Carbonilação proteica   Citrulinação   Reparo do DNA   Dano ao DNA   Transformação celular neoplásica
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:lesões DNA | Modificações pós-traducionais (MPTs) | Uva | Via de reparo por excisão de nucleotídeos (NER) | xeroderma pigmentosum (XP) | Mutagênese

Resumo

Indivíduos com Xeroderma Pigmentosum (XP), uma doença autossômica recessiva rara, apresentam defeitos para reparar lesões de DNA induzidas por radiação ultravioleta (UV). Como resultado, pacientes com XP são extremamente sensíveis à luz solar e possuem um risco elevado de desenvolver Câncer de Pele comparado com a população em geral. Um estudo recente mostrou que células XP variante (XP-V) irradiadas com luz UVA apresentam a remoção de lesões mais lenta e isso se dá provavelmente devido a geração de espécies reativas de oxigênio (ROS), causando oxidação de proteínas de reparo de DNA. Estes resultados indicam um envolvimento de Modificações Pós-Traducionais (MPTs) no processo de reparo do DNA. Apesar de algumas MPTs terem sido demonstradas associadas a mecanismos de reparo de DNA, como ubiquitinação, fosforilação e metilação, não se sabe muito sobre o papel de MPTs induzidas por ROS (oxidação e carbonilação) nesse processo. Além de MPTs induzidas por ROS, a contribuição da citrulinação, uma MPT envolvida na condensação e descondensação da cromatina e, consequentemente, na disponibilidade do DNA para ser danificado pela radiação UV, não foi estudada no contexto de dano e reparo de DNA. Nesse projeto, temos como objetivo investigar em detalhes a participação das MPTs oxidação, carbonilação e citrulinação no processo de reparo de DNA e se a MPT de proteínas de reparo pode diminuir a eficiência do mecanismo de reparo, aumentando dano ao DNA, mutagênese e carcinogênese. Além disso, nós queremos avaliar se células XP apresentam aumento de sua capacidade de transformação maligna, como esperado a partir do fenótipo clínico dos pacientes. Para isso, nós planejamos otimizar um protocolo para selecionar células de paciente XP que sofreram transformação maligna e realizar sequenciamento do exoma dos clones selecionados. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)