Busca avançada
Ano de início
Entree

Epigenética na interação parasito-hospedeiro em Schistosoma mansoni

Processo: 21/01885-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2022
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Helmintologia de Parasitos
Pesquisador responsável:Fernanda Janku Cabral
Beneficiário:Camila Fernandes Correia
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Epigênese genética   Helmintologia   Interações hospedeiro-parasita   Resposta imune   Expressão gênica   Schistosoma mansoni   Modelos animais de doenças   Reação em cadeia da polimerase via transcriptase reversa quantitativa (qRT-PCR)

Resumo

No Brasil, a esquistossomose é uma doença parasitária causada pela espécie Schistosoma mansoni, e ainda é considerada um grave problema de saúde pública no Brasil e no mundo. A epigenética é uma ferramenta atual para desvendar possíveis mecanismos de patogênese em diversas doenças, como a esquistossomose. Alterações epigenéticas podem ser herdadas, o que possibilita investigar o controle epigenético da expressão gênica durante o ciclo de vida do S. mansoni, além de possibilitar possíveis mudanças no desenvolvimento do parasita. A epigenética nas interações parasita-hospedeiro é importante para analisar como os parasitas desenvolvem estratégias para manipular a transcrição de genes do hospedeiro e expressão de proteínas, o que já tem sido realizado para outros parasitas intracelulares. A abordagem epigenética é realizada através da análise de modificações pós-tradicionais, como a metilação de histonas, o que representa um importante caminho para elucidação de mecanismos patogênicos e alvos terapêuticos em parasitoses. O presente estudo visa avaliar a influência epigenética em camundongos da linhagem C57 BLACK/6 durante infecção por Schistosoma mansoni, os seus efeitos na expressão gênica através da análise dos genes relacionados à resposta imunológica IL-4, IL-5 e IL-13 do hospedeiro. Inicialmente será realizada a extração de tecidos do fígado de camundongos da linhagem C57 BLACK/6 infectados e não infectados para realização da imunoprecipitação da cromatina (ChIP) com os anticorpos H3K9ac, H3K9me3 e H3K27me3 e, em seguida, será realizada a análise dos genes acima citados através da técnica qRT-PCR. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)