Busca avançada
Ano de início
Entree

Prosódia como parâmetro formal na análise construcional de construções condicionais adversativas insubordinadas no português brasileiro

Processo: 21/06676-2
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 06 de setembro de 2021
Vigência (Término): 05 de dezembro de 2021
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Linguística - Teoria e Análise Lingüística
Pesquisador responsável:Flavia Bezerra de Menezes Hirata Vale
Beneficiário:Camila Pires Alves
Supervisor no Exterior: Renata Enghels
Instituição-sede: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Local de pesquisa: Ghent University (UGent), Bélgica  
Vinculado à bolsa:20/02513-9 - Construções condicionais insubordinadas adversativas no português do Brasil: aspectos prosódicos, BP.MS
Assunto(s):Prosódia

Resumo

Recentemente, muitos são os estudos que tratam de um fenômeno linguístico relacionado ao uso não prototípico de sentenças complexas que não é considerado pela gramática normativa. É o caso das construções que embora apresentem alguma marca de subordinação, são utilizadas de forma independente sem estarem relacionadas a uma oração matricial, fenômeno caracterizado como "insubordinação" (EVANS, 2007 2009).Este projeto tem como objetivo descrever os usos de construções condicionais insubordinadas com valor adversativo no Português Brasileiro, que ainda não estão totalmente descritas nesta língua (ALVES, 2019). Para tanto, a prosódia é considerada como um dos aspectos formais desse tipo de construção. Em estudos sobre insubordinação em espanhol (Schwenter, 2016, Garcia, 2017), a prosódia mostrou-se fundamental para delinear a independência sintática dessas construções, pois a entonação parece ser o único elemento distintivo entre as construções elípticas e insubordinadas quando há estímulos segmentais para cada uma das estruturas. Embora o português brasileiro seja uma língua entonacional e alguns de seus significados sejam determinados prosodicamente, as relações entre sintaxe e prosódia são pouco exploradas e poucos são os estudos que analisam construções insubordinadas em português por meio da inter-relação entre esses dois níveis linguísticos (SILVESTRE, 2017).Neste projeto, consideramos este fenômeno como resultado da correlação entre aspectos formais e funcionais em uma perspectiva construcional da linguagem, seguindo Goldberg (2006). Assim, pretendemos analisar as construções condicionais adversativas insubordinadas como um par de forma e significado que configura um tipo de construção. Nesse sentido, aspectos prosódicos serão tratados como essenciais para um melhor entendimento acerca da codificação formal dessas construções, o que ainda não foi abordado dentro da teoria da Gramática da Construção.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)