Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo histofisiológico de epidídimos de camundongos transgênicos K18-hACE2 infectados com SARS-CoV-2

Processo: 21/05802-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2021
Vigência (Término): 31 de agosto de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Pesquisador responsável:Estela Sasso Cerri
Beneficiário:André Acácio Souza da Silva
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Camundongos transgênicos   Epididimo   Enzima de conversão de angiotensina 2   Infecções por Coronavirus   SARS-CoV-2   COVID-19   Imuno-histoquímica   Microscopia eletrônica   Morfometria

Resumo

O SARS-CoV-2 é o vírus causador da COVID-19, doença respiratória grave declarada em 2020 como uma pandemia pela organização mundial da saúde. A fim de se determinar os vários impactos da COVID-19 no organismo, foi desenvolvido um camundongo transgênico (K18-hACE2) que expressa a ACE2 humana, proteína essencial para a entrada do vírus na célula hospedeira e o estabelecimento da infecção. As células do epitélio epididimário produzem um fluido luminal especializado que auxilia na manutenção, dos espermatozoides, além de conferir proteção contra patógenos. A manutenção do pH do fluido luminal é, em parte, controlada pela célula clara que, por meio de algumas sinalizações da célula basal e participação da angiotensina 2, recruta V-ATPase (bomba de prótons) para a membrana apical. O epidídimo também é um órgão rico em células que desencadeiam respostas imunológicas, produzindo citocinas como o TNF-±, IL-1 e IL-6. Portanto, considerando a intensa expressão de citocinas desencadeada pela Covid-19 e que pacientes do sexo masculino com essa doença tem demonstrado alterações hormonais e testiculares, será proposto localizar o vírus nos tecidos epididimários de camundongos K18-hACE2 infectados pelo SARS-CoV-2, bem como avaliar a integridade dos tecidos, a quantidade de macrófagos e a imunoexpressão de TNF-±, IL-6 e V-ATPase nos epidídimos desses animais. Serão utilizados 12 camundongos K18-hACE2 divididos em dois grupos (n=6): grupo controle (GC) e grupo com infecção por 5 dias (G5D), cujos animais receberão DMEM ou serão infectados pelo SARS-CoV-2 por via intranasal, respectivamente. Os epidídimos serão fixados e processados para inclusão em parafina ou resina Araldite (para microscopia eletrônica de transmissão-MET). Nos cortes de parafina, serão realizadas reações de imuno-histoquímica ou imunofluorescênca para análise quantitativa da imunoexpressão de TNF-±, IL-6, V-ATPase e número de macrófagos CD163. Os resultados serão submetidos à análise estatística pelo Student`s-t test (pd0.05). Nos cortes ultrafinos, será analisada a integridade estrutural das células epiteliais, musculares e conjuntivas, bem como a presença do vírus nestes tecidos por meio da MET. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)