Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da aplicação exógena de testosterona e corticosterona sobre a resposta inflamatória em sapos (Rhinella icterica)

Processo: 20/15251-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2021
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Comparada
Pesquisador responsável:Fernando Ribeiro Gomes
Beneficiário:Stephani Domingues Menatto
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Anfíbios   Fagocitose   Lipopolissacarídeos

Resumo

A ocorrência de declínios populacionais de anfíbios está associada, principalmente, a alterações climáticas e doenças infecciosas. Neste contexto, uma maior compreensão sobre as funções imunitárias se faz necessária, para que possamos entender como moduladores hormonais estão associados com montagem da resposta inflamatória em anfíbios. Os glicocorticóides, (corticosterona - CORT, principal glicocorticoide em anfíbios), são amplamente conhecidos como os principais mediadores da resposta de estresse, participando da modulação das funções imunitárias durante a resposta a um estressor. Além desses, andrógenos como a testosterona (T) também apresentam efeitos imunomodulatórios sobre diferentes aspectos da resposta imune, como, por exemplo, a produção de citocinas e a resposta humoral em vertebrados. Estudos dos efeitos isolados da CORT e T são escassos e trabalhos que investiguem a utilização de ambos os hormônios na montagem da resposta inflamatória em anfíbios são desconhecidos. Assim, o objetivo deste projeto é investigar os efeitos imunomodulatórios do tratamento agudo de CORT e T sobre a resposta inflamatória de sapos (Rhinella icterica) submetidos a um desafio imune com lipopolissacarídeo (LPS). Avaliaremos componentes da resposta imune inata e mediadores hormonais da resposta inflamatória em sapos submetidos a um desafio imune com LPS previamente tratados com CORT e T para que possamos entender melhor a relação entre estes hormônios e a resposta inflamatória em anuros.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)