Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos do consumo preventivo do pó liofilizado da casca da jabuticaba em camundongos BALB/c com Câncer Colorretal induzido por azoximetano/dextran sulfato de sódio

Processo: 19/03228-9
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2021
Situação:Interrompido
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:Mário Roberto Maróstica Junior
Beneficiário:Roberto de Paula do Nascimento
Instituição Sede: Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):22/10485-0 - Pó liofilizado da casca da jabuticaba na prevenção do câncer colorretal: mecanismos em camundongos 'wild type' e geneticamente modificados, BE.EP.DR
Assunto(s):Jabuticaba   Azoximetano   Neoplasias colorretais   Sulfato de dextrana   Prevenção   Inflamação   Modelos animais
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Azoximetano | câncer colorretal | Dextran sulfato de sódio | Inflamação | Myrciaria Jaboticaba | prevenção | Ciência de Alimentos

Resumo

O Câncer Colorretal (CCR) é um dos tipos de Câncer mais frequentes e com maior mortalidade no mundo. No Brasil, na última década, os casos de CCR apresentaram considerável aumento, e até 2030, é previsto um acréscimo de até 80% na incidência em toda a América Latina. Os indivíduos com maior risco para a obtenção de CCR são os portadores de Obesidade, Diabetes e principalmente, doenças inflamatórias intestinais (Colite Ulcerativa e Doença de Crohn), sugerindo a cerca do papel da inflamação no curso do CCR. De forma associada, os hábitos alimentares também têm sido implicados como fatores de risco para CCR. O alto consumo de frutas parece contribuir para uma importante diminuição no risco da doença. Especialmente, os frutos brasileiros, como demonstram estudos recentes, parecem desempenhar efeitos preventivos e/ou terapêuticos contra doenças crônicas e Cânceres. A Jabuticaba (Myrciaria jaboticaba), originária da Mata Atlântica, é um dos frutos nativos com importantes quantidades de fibras insolúveis e antocianinas, compostos bioativos com ações antioxidante, antiinflamatória e antiproliferativa. Especialmente, a casca da Jabuticaba têm sido utilizado pelo nosso grupo, com resultados satisfatórios, em modelos animais de Obesidade e Esteatose Hepática, no entanto, ainda não foi testada em um modelo animal robusto de CCR por nenhum grupo de pesquisa. Na investigação dos efeitos de agentes quimiopreventivos, como a Jabuticaba, no CCR associado a inflamação, a indução da doença em murinos através da utilização de azoximetano associado a dextran sulfato de sódio, parece o método mais prático e de melhor custo-benefício. Dessa forma, considerando o exposto, este trabalho tem como objetivo principal avaliar os efeitos do consumo preventivo de um fruto nativo brasileiro, a Jabuticaba, em um modelo robusto de CCR associado a inflamação. Para isso, serão utilizados camundongos BALB/c em experimentação. Estes receberão, adicionado na dieta AIN-93M, o pó liofilizado da casca da Jabuticaba nas concentrações de 0, 2,5, 5, 7,5 ou 10% do início até o final do experimento. O carcinogênico azoximetano será administrado via intraperitoneal, em dose única, a 10 mg/kg, e sete dias depois, o indutor de inflamação no cólon, dextran sulfato de sódio, será adicionado à água de beber, na proporção de 2%, por mais sete dias. O experimento será finalizado após 16 semanas da única injeção de azoximetano, com o objetivo de obter modelo bem-sucedido com formação de adenomas e/ou carcinomas. As seguintes análises serão realizadas: 1. atividade clínica da doença (sangramento, consistência das fezes, perda de peso); 2. medidas teciduais no cólon (comprimento, massa); 3. incidência, multiplicidade e tamanho de tumores; 4. concentração ou expressão de proteínas envolvidas no CCR (Beta-catenina, APC, KRAS, ERK1/2, p53, COX-2, iNOS, Nf-kB, STAT3, TNF-alfa, IL-1beta, IL-6 e TGF-beta); e 5. concentração de ácidos graxos de cadeia curta, os quais são substratos energéticos protetores da mucosa intestinal e reguladores de vias de sinalização. É esperado que a casca da Jabuticaba, a porção da fruto mais rica em fibras e compostos fenólicos, seja capaz de atenuar ou eliminar o quadro grave de CCR induzido em camundongos. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MACHADO, ANA PAULA DA FONSECA; DO NASCIMENTO, ROBERTO DE PAULA; ALVES, MARIANA DA ROCHA; REGUENGO, LIVIA MATEUS; MAROSTICA JUNIOR, MARIO ROBERTO. razilian tucuma-do-Amazonas (Astrocaryum aculeatum) and tucuma-do-Para (Astrocaryum vulgare) fruits: bioactive composition, health benefits, and technological potentia. Food Research International, v. 151, . (18/11069-5, 19/25048-2, 19/03228-9, 17/23657-6, 15/50333-1, 15/13320-9)
DO NASCIMENTO, ROBERTO DE PAULA; REGUENGO, LIVIA MATEUS; DA FONSECA MACHADO, ANA PAULA; MAROSTICA JUNIOR, MARIO ROBERTO. he preventive and therapeutic potential of native Brazilian fruits on colorectal cance. FOOD BIOSCIENCE, v. 46, . (18/11069-5, 19/03228-9, 17/23657-6, 15/50333-1, 19/25048-2, 15/13320-9)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.