Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência da disbiose oral sobre a microbiota intestinal em indivíduos afetados por Periodontite e seus descendentes

Processo: 19/08953-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2021
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Periodontia
Pesquisador responsável:Renato Corrêa Viana Casarin
Beneficiário:Mabelle de Freitas Monteiro
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Microbiologia   Disbiose   Microbioma gastrointestinal   Doenças periodontais   Periodontite   Suscetibilidade a doenças

Resumo

Estudos recentes têm demonstrado que a doença periodontal dos pais afeta a condição periodontal de seus filhos, influenciando no estabelecimento precoce de uma microbiota oral disbiótica associada à doença. Adicionalmente, evidências tem sugerido que a microbiota oral é importante na determinação da microbiota intestinal e que a disbiose intestinal tem relação direta com o aparecimento de inúmeros doenças sistêmicas. Assim, o objetivo deste estudo será avaliar o impacto da disbiose oral na composição da microbiota intestinal em indivíduos afetados por Periodontite severa e de rápida progressão e em seus descendentes. Serão selecionados 80 indivíduos: 20 pais diagnosticados com Periodontite generalizada estágio III-IV grau C e 20 filhos (6-12 anos) de destes indivíduos, 20 pais periodontalmente saudáveis e 20 filhos (6-12 anos) que apresentem ambos os pais periodontalmente saudáveis. Os indivíduos serão periodontalmente avaliados e amostras de saliva, biofilme subgengival e fezes serão coletadas para as avaliações microbiológicas. O DNA bacteriano será extraído e as regiões V1-V3 e V7-V9 da região 16S do rRNA serão sequenciados utilizando a plataforma Illumina MiSeq. Os dados serão avaliados com ferramentas de bioinformática e a condição microbiológica será relacionada com o diagnóstico e com os parâmetros clínicos. Para a avaliação microbiana serão computadas as diversidades alfa e beta, as bactérias diferencialmente abundantes entre os grupos, o core microbiome, a análise de co-ocorrência para cada ambiente e análise de Random Forest será usada para identificação de bactérias com alto valor preditivo para cada condição. A similaridade entre os microbiomas orais e das fezes será testada para identificar o impacto oral sobre a colonização intestinal. Os dados serão correlacionados e comparados por testes específicos, com nível de significância de 5%. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)