Busca avançada
Ano de início
Entree

Fatores de risco e proteção para o desenvolvimento das funções executivas na adolescência: coorte de nascimento de Pelotas 2004

Processo: 20/13425-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de abril de 2021
Vigência (Término): 31 de outubro de 2024
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Epidemiologia
Pesquisador responsável:Alicia Matijasevich Manitto
Beneficiário:Julia de Souza Rodrigues
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Estudos de coortes   Fatores de risco   Funções executivas   Depressão   Saúde materna   Desenvolvimento infantil   Adolescência   Pelotas (RS)

Resumo

As Funções Executivas (FEs) são um conjunto de habilidades cognitivas que permitem o controle e execução de processos mentais, atencionais, comportamentais e emocionais diante de situações de conflito ou distração. As FEs fazem parte do cotidiano e se relacionam com as capacidades de atenção, memória, resolução de problemas e autocontrole. O desenvolvimento das FEs durante a infância está associado a maturação de regiões cerebrais, e é influenciado por diversos fatores que podem atuar promovendo-o ou afetando-o negativamente. Estudos epidemiológicos dos últimos vinte anos revelam que fatores de risco como baixa condição socioeconômica, maus-tratos e bullying escolar na infância repercutem negativamente nas FEs durante a adolescência. Por outro lado, fatores protetivos como calor maternal e a presença da figura paterna repercurtem positivamente nas FEs durante a adolescência. Estudos de coorte revelaram que a exposição contínua a interações afetivas inapropriadas entre mães que têm distúrbios psiquiátricos, como depressão materna, e seus filhos, traz sérias consequências para o desenvolvimento das FEs. Déficit escolar, uso de drogas e problemas comportamentais são alguns dos prejuízos consequentes do desenvolvimento inadequado das FEs na vida dos adolescentes. Objetivo: Avaliar a repercussão de diversos fatores de risco sobre as FEs relacionadas a atenção e memória de trabalho em adolescentes pertencentes à coorte de nascimento de Pelotas de 2004. Métodos: O desenho do estudo é uma coorte de nascimentos de base populacional em Pelotas (RS), que incluiu 4.231 (99%) nascidos-vivos no ano de 2004. Os desfechos deste estudo são as FEs de controle atencional, atenção seletiva e flexibilidade cognitiva aos 11 anos e de memória de trabalho aos 15 anos. As exposições serão divididas em: precoces, avaliadas no primeiro ano de vida, relativas aos acompanhamentos realizados no perinatal, 3, 12 meses de idade; contemporâneas, avaliadas a partir do primeiro ano de vida. Variáveis de confusão e mediadoras ou modificadoras de efeito serão analisadas e eventualmente incluídas nos modelos ou ajustadas através de análises estatísticas. Resultados: Os resultados esperados poderão contribuir com possíveis medidas de intervenção e/ou preventivas que minimizem o impacto dos fatores de risco nas FEs de crianças e adolescentes. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)