Busca avançada
Ano de início
Entree

Aplicação da bioluminescência para rastreamento de células e processos inflamatórios: estudo in vitro e in vivo

Processo: 20/07649-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2021
Vigência (Término): 30 de abril de 2023
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Biomédica - Bioengenharia
Pesquisador responsável:Eliana Aparecida de Rezende Duek
Beneficiário:Vanessa Rezende Bevilaqua
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde (FCMS). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Sorocaba , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:10/05426-8 - Bioluminescência de artrópodes: diversidade biológica em biomas brasileiros; origem bioquímica; evolução estrutural/funcional de luciferases; diferenciação molecular das lanternas; aplicações biotecnológicas, ambientais e educacionais, AP.TEM
Assunto(s):Bioluminescência   Biofotônica   Rastreamento de células   Inflamação   Regeneração tecidual   Genes reporter   Biomateriais   Luciferases   Técnicas in vitro   In vivo

Resumo

Os genes repórter bioluminescentes que codificam luciferases estão entre os mais sensíveis e frequentemente empregados para monitorar processos celulares não invasivamente, em tempo real. Diferentemente de genes repórter fluorescentes como a GFP, que apresentam desvantagens como autoabsorção da luz irradiada, autofluorescência e fototoxicidade, os genes repórter bioluminescentes têm a vantagem de produzir luz própria através da expressão de enzimas luciferases que catalisam a oxidação bioluminescente de substratos conhecidos por luciferinas. Genes repórter são empregados para variadas finalidades, incluindo Imagem por Bioluminescência (BLI) de processos como diferenciação e crescimento celular e testes em modelos animais que tem ajudado a indústria farmacêutica a testar drogas, reduzindo o viés estatístico e sacrifício sequencial de animais. O uso da BLI tem sido utilizado também na triagem de células do sistema imunológico. Genes repórter bioluminescentes têm sido utilizados para acompanhar processos de regeneração e reparo tecidual por meio do monitoramento de células tronco mesenquimais administradas em áreas lesionadas que comprovadamente auxiliam no processo. Com intuito de avançar os estudos referentes à regeneração da pele em processos de regeneração e crescimento tecidual em biomateriais e em processos de inflamação associados, planejamos produzir linhagens celulares bioluminescentes a partir da transfecção de células tronco mesenquimais com genes repórter de luciferases de besouros. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)