Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da variação altitudinal na diferenciação fenotípica e adaptação local de populações de Pitcairnia flammea (Bromeliaceae) endêmica da Floresta Atlântica

Processo: 20/16696-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2021
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Vegetal
Pesquisador responsável:Clarisse Palma da Silva
Beneficiário:Tami da Costa Cacossi
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Ecologia evolutiva   Biogeografia   Genética populacional   Ecofisiologia   Evolução fenotípica   Bromeliaceae   Região neotropical   Mata Atlântica

Resumo

Localizada na região Neotropical, a Floresta Atlântica é a segunda maior floresta úmida tropical da América do Sul. É formada por um complexo de vegetações que abrigam vários tipos de comunidades vegetais, estando entre os cinco principais hotspots de biodiversidade do mundo. A família Bromeliaceae apresenta esta região como um dos seus principais centros de diversificação e possui um elevado número de espécies endêmicas. Pitcairnia flammea (Bromeliaceae) é uma espécie endêmica da Floresta Atlântica, localizada ao longo de um gradiente altitudinal, e apresenta grandes variações morfológicas e baixo fluxo gênico entre populações, sendo um bom modelo para estudos de diversificação e adaptação local de populações. Neste estudo, pretendemos analisar possíveis efeitos da variação altitudinal na diferenciação fenotípica e adaptação local de populações de P. flammea, correlacionando-os com a história geológica e climática da região. Assim, este projeto tem como objetivos: 1) avaliar caracteres funcionais morfológicos e ecofisiológicos nas populações de diferentes cotas altitudinais afim de verificar adaptações às condições locais de variação de temperatura; e 2) caracterizar populações de diferentes cotas altitudinais quanto à termotolerância a baixas e altas temperaturas. Os pontos estudados neste trabalho poderão elucidar questões acerca da evolução e diversificação destas plantas em um gradiente altitudinal de montanhas da Floresta Atlântica. Tais informações são fundamentais para a compreensão dos processos que geraram a diversidade de espécies nesta região, além de fornecer subsídios para o manejo e conservação desta e de outras espécies deste bioma, e auxiliar em previsões acerca de como espécies restritas a estes ambientes podem responder às mudanças climáticas projetadas para o futuro.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)