Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de uma vacina contra o Coronavírus SARS-CoV-2 utilizando o novo Sistema Apresentador de Antígenos (MAPS - OMV)

Processo: 20/14758-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2020
Vigência (Término): 30 de setembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Aplicada
Pesquisador responsável:Luciana Cezar de Cerqueira Leite
Beneficiário:Mariana Ribeiro Dominguez
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/24832-6 - Desenvolvimento de vacinas baseadas em BCG recombinante: Tuberculose, Pertussis, Pneumococo e Schistosoma, AP.TEM
Assunto(s):Desenvolvimento de vacinas   Betacoronavirus   SARS-CoV-2   COVID-19   Antígenos   Schistosoma mansoni   Proteínas recombinantes

Resumo

A recente epidemia mundial de Coronavírus SARS-CoV-2 exige esforços coordenados da comunidade científica para o desenvolvimento de novos testes diagnósticos, novos tratamentos e para o desenvolvimento de vacinas. O esforço para o desenvolvimento de vacinas tem concentrado em modificações de tecnologias que já estavam em desenvolvimento para outros vírus semelhantes, como o Coronavírus SARS-CoV-1, MERS, e até Influenza. As mais importantes atualmente são baseadas em vacinas de DNA, outros vírus atenuados, nanopartículas e mRNA apresentando os antígenos de SARS-CoV-2. Muitas destas estratégias levam em consideração a importâncias da natureza particulada para a estimulação apropriada do sistema imune. O presente projeto propõe utilizar um novo Sistema de Apresentação de Antígenos (MAPS) baseado no acoplamento dos antígenos recombinantes a uma matriz de vesículas de membrana externa (OMVs) com elevado poder adjuvante embutido, para constituição de um complexo molecular altamente imunogênico, MAPS-OMV-rAg. Esta plataforma foi desenvolvida em nossos laboratórios e faz parte de um pedido de patente em processo de submissão ao INPI. Os resultados obtidos com a expressão de antígenos de Schistosoma mansoni neste sistema demonstraram que a resposta imune humoral induzida é da ordem de 100 vezes maior do que o mesmo antígeno administrado com Hidróxido de Alumínio. Além disto, o perfil de isotipos indica uma resposta imune mais balanceada com forte componente de resposta celular (tese Barbosa, 2020). A nossa expectativa é que a apresentação de antígenos do SARS-CoV-2 nesta plataforma induza uma elevada resposta imune humoral, capaz de neutralizar o vírus. O caráter dual, partícula/adjuvante do complexo poderá induzir uma resposta imune mais elevada que estratégias envolvendo diferentes formas de nanopartículas. Além disto, OMVs já são usados como adjuvantes em vacinas comerciais e existe muita experiência em expressão de proteínas recombinantes, portanto, seria uma tecnologia cujos principais passos estão implantados na indústria, permitindo fácil escalonamento para produção industrial. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)