Busca avançada
Ano de início
Entree

Tratamento não farmacológico da disfunção cardíaca induzida por dieta ocidental: comparação das respostas dos exercícios aeróbico e anaeróbico

Processo: 20/06100-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2021
Vigência (Término): 30 de junho de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Bioquímica da Nutrição
Pesquisador responsável:Camila Renata Corrêa
Beneficiário:Felipe Sarzi
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Patologia   Obesidade   Dieta Ocidental   Exercício físico   Remodelação ventricular   Ecocardiografia   Ratos Wistar

Resumo

A obesidade é uma doença caracterizada pelo acumulo excessivo de gordura corporal e está diretamente relacionada a decorrência de diversas doenças, entre elas diabetes, hipertensão arterial, doenças cardiovasculares entre outras. A causa da obesidade se deve ao gasto energético negativo, onde se consome mais do que se gasta, que está ligado diretamente com padrão alimentar que nas últimas décadas tem mudado, atualmente a dieta ocidental é a que melhor define o comportamento alimentar da população brasileira, essa dieta é caracterizada pelo consumo excessivo de carboidratos, gorduras, proteínas e baixo consumo de vitaminas e minerais. Os exercícios físicos podem trazer muitos benefícios ao sistema cardíaco, ajudando com o tratamento de doenças cardiovasculares ocasionadas pela obesidade, o exercício físico pode ser dividido em dois tipos, os exercícios aeróbios e anaeróbios. Entre tanto na literatura não há uma convergência sobre qual dos dois tipos é o mais adequado para essas doenças. Objetivo: Comparar os efeitos dos exercícios Aeróbio e Anaeróbio sobre as repostas ecocardiográficas em ratos com disfunção cardíaca induzida por dieta. Métodos: Serão utilizados ratos Wistar (n=60) com aproximadamente 180 gramas, que serão distribuídos aleatoriamente em dois grupos (n=30) para receberem ração controle + água (dieta controle [DC]) ou ração rica em carboidratos simples e gordura + água de beber acrescida de 25% de sacarose (High Sugar-Fat Diet [HSF]), compondo os grupos controle (C) e HSF, respectivamente. Os animais receberão as dietas durante todo o período experimental, sendo que na 20ª semana serão submetidos à análise miocárdica in vivo para identificação de disfunção cardíaca. Confirmada a disfunção, os animais serão redistribuídos em seis grupos experimentais (n=10), sendo: controle (C), controle + exercício físico aeróbico (C+EFA), controle + exercício físico resistido (C+EFR), controle HSF, HSF + exercício físico aeróbico (HSF+EFA) e HSF + exercício físico resistido (HSF+EFR). Os animais dos grupos C+EFA e HSF+EFA serão submetidos ao exercício físico aeróbico e os animais dos grupos C+TFR e HSF+TFR ao exercício físico resistido por 10 semanas. O período experimental terá duração total de 30 semanas. O exercício físico aeróbico será realizado em esteira ergométrica e o resistido em escada. A capacidade funcional e os ajustes de carga serão determinados após os testes de esforço. A obesidade será caracterizada através da avaliação do perfil nutricional, utilizando os cálculos de ingestão calórica, eficiência alimentar e do índice de adiposidade. As comorbidades da obesidade serão avaliadas pela pressão arterial sistólica caudal, glicemia, triacilglicerol e resistência à insulina que será calculada pelo índice HOMA-IR. A função cardíaca será avaliada in vivo, por meio de análise ecocardiográfica Doppler. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)