Busca avançada
Ano de início
Entree

Democracia e instituições informais no partidos políticos brasileiros

Processo: 20/11889-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2021
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2024
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Ciência Política - Comportamento Político
Pesquisador responsável:Pedro José Floriano Ribeiro
Beneficiário:Fabiana Cristina dos Santos de Souza
Instituição-sede: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Partidos políticos   Organização partidária   Democracia   Brasil

Resumo

Este projeto propõe analisar comparativamente seis legendas, sendo elas, PT, PSDB, MDB, DEM, PSD e PSOL, no que se refere a organização partidária, com o intuito de compreender a democracia interna dos partidos brasileiros a partir de dois eixos: inclusividade e formalidade, na seleção de candidatos e de dirigentes partidários. A pesquisa tem por intuito sanar duas lacunas presentes nos estudos sobre organização partidária no Brasil: a primeira é identificar de maneira comparada, em que grau os estatutos refletem a realidade da vida interna partidária, ou seja, identificar a dinâmica real do funcionamento partidário brasileiro; e a segunda lacuna que buscamos sanar é compreender de que maneira a democracia interna está associada ao grau de informalidade presente nas organizações partidárias, ou seja, nos atentaremos à insuficiência das análises que centram-se apenas no caráter formal das organizações partidárias. Para tanto, a pesquisa observará qual o caminho percorrido pelas legendas após a liberdade de organização concedida pela Lei Partidária 1096 de 1995 até 2020. A pergunta que sustenta a tese é: processos internos mais democráticos estimulam as organizações a serem menos informais? Para responder, será levado a cabo três etapas de trabalho: a primeira será a análise dos estatutos partidários para compreender qual o caminho percorrido pelas legendas em relação a democracia interna partidária; posteriormente, a partir dos resultados da primeira etapa, a pesquisa se propõe a compreender de que maneira a democracia interna está correlacionada com maior ou menor grau de informalidade, utilizando um modelo de regressão logística binomial; e, por fim, na terceira etapa, propomos uma tipologia para classificar os partidos analisados em: 1) inclusivo formal; 2) inclusivo informal; 3) hegemônico formal e 4) hegemônico informal. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)