Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo dos efeitos terapêuticos da associação do 17beta-estradiol e da prednisolona na inflamação pulmonar em ratas submetidas à morte encefálica

Processo: 20/11211-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de março de 2021
Situação:Interrompido
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Ana Cristina Breithaupt Faloppa
Beneficiário:Marina Vidal dos Santos
Instituição-sede: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):21/07455-0 - Estudo dos efeitos terapêuticos do estradiol e prednisolona no pulmão de ratas submetidas a morte encefálica após a perfusão ex vivo, BE.EP.DD
Assunto(s):Imunidade inata   Estradiol   Prednisolona   Pneumonia   Morte encefálica   Hormônios sexuais femininos   Modelos animais de doenças

Resumo

A falta de órgãos para transplante ainda é uma das principais questões enfrentadas pela comunidade médica e doadores em Morte Encefálica (ME) são a principal fonte de órgãos. Estudos clínicos e experimentais apontam para o impacto da ME sobre a viabilidade dos órgãos no transplante. A ME resulta em um processo inflamatório sistêmico associado a mudanças hormonais, metabólicas e hemodinâmicas. O pulmão é um dos órgãos mais afetados pela ME. Resultados anteriores em modelo experimental de ME evidenciaram maior quadro inflamatório pulmonar em ratas quando comparadas a machos e revelaram a redução aguda nas concentrações dos Hormônios Sexuais Femininos (HSF). Órgãos provenientes de doadoras transplantados para receptores homens apresentam piores prognósticos, indicando possível influência dos hormônios sexuais femininos. A falência hipofisária resultante da ME causa a redução de diversos outros hormônios, entre eles os glicocorticoides, o que compromete a resposta do doador ao processo inflamatório. Há uma relação entre os HSF e o eixo Hipotálamo-Hipófise-Adrenal (HHA). Os HSF bloqueiam o feedback negativo na liberação dos glicocorticoides. Diversos estudos apontam que a reposição hormonal do doador com corticoides após a ME contribui para melhorar a qualidade de diversos órgãos para transplante, entre eles o pulmão e, em estudo anterior do nosso laboratório, o tratamento com estradiol após a ME também foi capaz de reduzir a inflamação pulmonar. Ainda, existe uma série de genes envolvidos na resposta inflamatória que sofrem ação tanto do estradiol quanto dos glicocorticoides. Dessa forma, o objetivo desse projeto será investigar o efeito do tratamento conjunto do estradiol e da prednisolona na inflamação pulmonar em modelo de morte encefálica em ratas. Para isso, pretendemos investigar: (1) a mobilização de leucócitos no tecido pulmonar, no compartimento medular e sanguíneo após a morte encefálica; (2) a microcirculação pulmonar por microscopia intravital, (3) a função pulmonar por quantificação de gases expirados e gasometria; (4) a liberação sistêmica e local de mediadores inflamatórios; (5) a permeabilidade da microcirculação pulmonar e (6) a expressão gênica e proteica das moléculas de adesão endotelial no pulmão. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)