Busca avançada
Ano de início
Entree

Suporte técnico na validação do hub gene PRICKLE1 por análises de biologia molecular e ensaios funcionais, e suporte na rotina laboratorial.

Processo: 20/16426-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2021
Vigência (Término): 31 de agosto de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Luiz Gonzaga Tone
Beneficiário:Keteryne Rodrigues da Silva
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/20341-0 - Interação entre alvos terapêuticos emergentes e vias de desenvolvimento associadas à tumorigênese: ênfase em neoplasias da criança e do adolescente, AP.TEM
Assunto(s):Ependimoma   Oncologia pediátrica

Resumo

Ependimoma (EPN) é um tumor primário que acomete o sistema nervoso central (SNC), cuja origem se dá nas células ependimárias que revestem o sistema ventricular e o canal da medula espinhal (LEHMAN, 2008). O EPN é a terceira neoplasia do SNC mais frequente em pacientes pediátricos, representando cerca de 10% deste grupo de tumores. Atualmente o EPN é classificado em nove subgrupos moleculares sendo, ST-EPN-RELA e FP-EPN-A os subgrupos de pior prognóstico (PAJTLER et al., 2015). O padrão atual de tratamento de EPN compreende ressecção cirúrgica seguida de radiação focal (MERCHANT et al., 2009). Porém, a radioterapia não é indicada em crianças pequenas, devido os efeitos prejudiciais no cérebro em desenvolvimento. Desta maneira, com o intuito de atrasar ou evitar o uso da irradiação, tem se aplicado o uso de múltiplos quimioterápicos, porém, não há evidências de benefícios na sobrevida dos pacientes (WRIGHT; GAJJAR, 2009; LIN; CHINTAGUMPALA, 2015). A recorrência local do tumor pode ocorrer em até 50% dos casos (SOWAR et al., 2006), principalmente em pacientes pediátricos, sendo as taxas de sobrevida livre de eventos (SLE) e a sobrevida global (SG) em 5 anos de 23-57% e 50-71%, respectivamente (LIN; CHINTAGUMPALA, 2015). Neste contexto, a identificação de novos alvos terapêuticos é importante para o desenvolvimento de tratamentos mais eficazes. A busca por alvos terapêuticos moleculares específicos é uma constante na pesquisa oncológica e a técnica de RNA-Seq torna possível a análise de interações moleculares complexas, favorecendo essa descoberta. Assim, o nosso grupo de pesquisa realizou sequenciamento em larga escala de amostras de pacientes pediátricos de três tumores: Ependimoma (EPN), Meduloblastoma (MB) e Tumor Adreno-cortical (TAC). Análise dos transcriptomas foi realizada por ferramentas de bioinformática para obtenção dos genes diferencialmente expressos entre os subgrupos moleculares de EPN e dos módulos de co-expressão gênica. A partir dessas análises, foi identificado baixa expressão específica do hub gene PRICKLE1 no subgrupo ST-EPN-RELA quando comparado aos demais subgrupos moleculares. Este hub gene apresenta papel regulador negativo das vias canônica e não-canônica de Wingless (Wnt) (KATOH, 2005; CHAN et al., 2006; LEI et al., 2015). Além disso, PRICKLE1 é descrito por apresentar um papel importante na regulação da polaridade celular (GUBB et al., 1999) e associação com processos de migração celular e invasão tumoral (DAULAT et al., 2016; DYBERG et al., 2016). Somado a validação deste gene em EPN, há um grande número de atividades laboratoriais rotineiras que dão suporte ao andamento do projeto temático. Desta maneira, o plano de atividades proposto para esta bolsa de treinamento técnico refere-se a apoio na validação do hub gene PRICKLE1 em EPN, além do suporte na rotina laboratorial na manutenção de camundongos e apoio na coleta de amostras tumorais.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)