Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise da ativação do receptor de hidrocarboneto de arila pelo 1-metil-triptofano na transição epitélio mesenquimal em células de carcinoma de bexiga urinário humano

Processo: 20/10555-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2020
Vigência (Término): 31 de julho de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Humberto Dellê
Beneficiário:Caroline Dias de Souza Barbosa
Instituição-sede: Universidade Nove de Julho (UNINOVE). Campus Vergueiro. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Urologia   Neoplasias da bexiga   Transição epitelial-mesenquimal   Imunomodulação   Progressão tumoral   Reação em cadeia por polimerase (PCR)   Fator de crescimento transformador beta1

Resumo

O câncer de bexiga é uma neoplasia frequente, sendo o segundo mais agressivo do trato urinário. Sua agressividade depende de sua capacidade invasiva, que está ligada ao processo de transição epitélio mesenquimal (EMT). A indoleamina 2,3-dioxigenase-1 (IDO1) é uma enzima conhecida pela sua ação imunomoduladora e tem sido associada à EMT mediada pelo TGF-²1 em carcinoma de bexiga. Pelo exposto, faz sentido sua inibição como forma terapêutica e uma das formas clássicas é por meio de seu inibidor 1-metil-triptofano (1-MT). Contudo, nosso grupo tem demonstrado que o 1-MT potencializa a EMT. Por conta do 1-MT ligar-se ao receptor de hidrocarboneto de arila (AHR), o qual é também acionado pelos catabólitos da IDO1 e está envolvido na EMT em tumores de outros órgãos, nós levantamos a hipótese de que o 1-MT aciona o AHR em carcinoma de bexiga e, portanto, pode contribuir com a EMT e consequentemente com a progressão tumoral. Diante disso, o presente estudo tem como objetivo demonstrar em células T24 de carcinoma de bexiga humano o uso do 1-MT e sua associação com a ativação do AHR e o processo de EMT. Para isso, células T24 serão incubadas com TGF-²1, 1-MT e/ou 7-Ketocholesterol (7-KT), um inibidor endógeno do AHR. A ativação do AHR será analisada pela expressão do CYP1A1 e a EMT será analisada pela expressão de genes utilizando-se PCR em tempo real e por meio da análise de invasão in vitro. Os resultados poderão esclarecer um mecanismo importante de progressão tumoral e, caso o 1-MT apresente efeito em induzir a EMT via AHR, será contraindicado para tratamento do câncer de bexiga.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)