Busca avançada
Ano de início
Entree

Acontecimento e memória na pandemia de COVID-19: discurso e(m) rede

Processo: 20/10660-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2020
Vigência (Término): 01 de junho de 2021
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Linguística - Teoria e Análise Lingüística
Pesquisador responsável:Lucília Maria Abrahão e Sousa
Beneficiário:Marco Antonio Almeida Ruiz
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Análise do discurso   Acontecimento discursivo   Michel Pêcheux   Memórias   Morte   Pandemias   COVID-19   SARS-CoV-2

Resumo

Com este projeto de pós-doutoramento, objetivamos analisar, à luz da teoria discursiva proposta por Michel Pêcheux e seus sucessores, o modo como se construiu a ressignificação da morte durante a pandemia de Covid-19 no Brasil. Ou seja, promovemos um gesto de leitura a partir de três memoriais criados em uma rede social, o Instagram, à época do surgimento da pandemia - Inumeráveis, Reliquia.rum, e Museu do isolamento - que produzem um deslizamento de sentido sobre a morte como resistência diante da normatização e estatísticas de uma política da morte do governo brasileiro. Ao contrário dos dados oficiais, que transformam os mortos em vítimas num imenso conjunto de tabelas, os memoriais virtuais, a sua maneira, (re)desenham a morte diferentemente, instaurando novas memórias a partir de uma dada atualidade, um "novo normal" como forma de resistência. Como fundamentação teórico-metodológica, utilizaremos os pressupostos de Michel Pêcheux (2008, 2010, 2014) acerca da memória e acontecimento discursivos, em que nos possibilitam pensar a pandemia como um acontecimento. Este trabalho deriva-se de um auxílio regular de pesquisa de nossa supervisora aprovado por esta Fundação (Processo no. 2019/13385-4), cujo objetivo é compreender os efeitos de horror no processo de sua institucionalização em locais abertos hoje à visitação (Brasil, Portugal e países da América Latina) - museus, memoriais, por exemplo -, materializando dizeres que indiciam os sinais, as cicatrizes, os vestígios e as marcas no corpo durante a ditadura cívico-militar brasileira.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)