Busca avançada
Ano de início
Entree

Expressão de laminina-332 e colágeno tipo IV em amostras de líquen plano oral e lesão liquenóide oral: perspectiva de aplicação como marcadores de transformação maligna

Processo: 20/10868-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2020
Vigência (Término): 30 de novembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Ana Carolina Fragoso Motta
Beneficiário:Mayara Sayuri Kamimura Akama
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Estomatologia   Carcinoma de células escamosas   Transformação celular neoplásica   Colágeno tipo IV   Líquen plano   Consentimento esclarecido   Imuno-histoquímica

Resumo

O liquen plano oral (LPO) é uma doença inflamatória crônica, que acomete principalmente mulheres, com frequência variando de 0,1% a 4% na população em geral, e, embora controverso, é considerado uma desordem potencialmente maligna. Diversos marcadores vêm sendo propostos como indicadores de transformação maligna, com possibilidade de contribuir para o esclarecimento da questão da transformação maligna do LPO, entre estes a laminina-332 e colágeno tipo IV. Este projeto propõe-se determinar a expressão de laminina-332 e colágeno tipo IV em amostras de mucosa oral de pacientes com diagnóstico de LPO e lesão liquenoide oral (LLO), por meio de estudo imuno-histoquímico. O diagnóstico de LPO e LLO seguirá o critério de van der Meij & van der Waal, 2003. Serão incluídas amostras de pacientes em atendimento em quatro instituições de ensino superior: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto - USP, Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP, Faculdade de Odontologia - USP e Universidade do Estado do Amazonas, durante o período de novembro de 2013 a fevereiro de 2020. Serão investigadas informações relativas à idade, sexo, raça, forma clínica, localização, tempo de evolução, associação com fatores emocionais, comorbidades sistêmicas, uso de medicamentos, tabagismo e etilismo. Amostras de displasia epitelial oral (DE), carcinoma de células escamosas oral (CCE) e hiperplasia fibrosa (HF) serão utilizados para as comparações morfológicas e imuno-histoquímicas. Espera-se com a realização deste projeto identificar aspectos que possam interferir na evolução do LPO. Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa FORP/USP (CAAE #: 33703114.8.0000.5419) e todos os pacientes deverão fornecer consentimento livre e esclarecido.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)