Busca avançada
Ano de início
Entree

Linfócitos T CAR anti-anidrase carbônica IX liberadores de anticorpos anti-ligante de morte celular programada 1 no tratamento do glioblastoma in vitro

Processo: 20/05296-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2020
Vigência (Término): 30 de junho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Eloah Rabello Suarez
Beneficiário:Gabriela Lagreca
Instituição-sede: Centro de Ciências Naturais e Humanas (CCNH). Universidade Federal do ABC (UFABC). Ministério da Educação (Brasil). Santo André , SP, Brasil
Assunto(s):Glioblastoma   Anidrase carbônica IX   Superexpressão gênica   Linhagem celular   Progressão tumoral   Técnicas in vitro

Resumo

Dentre os tumores cerebrais, o glioblastoma (GBM) destaca-se por ser o mais prevalente e também o mais maligno, levando ao óbito da maioria dos pacientes em no máximo um ano e meio após o diagnóstico inicial. O GBM frequentemente apresenta hipóxia, que leva a superexpressão de diversas proteínas, como a anidrase carbônica IX (CAIX). A CAIX é uma metaloenzima transmembrânica responsável pela hidratação reversível do gás carbônico e encontra-se superexpressa em mais de 60% dos casos de GBM. Tumores sólidos, incluindo o GBM, apresentam um microambiente que propicia a perda progressiva de funções efetoras de linfócitos T (LT), processo conhecido por exaustão de LT, que, por sua vez, favorece o desenvolvimento e progressão tumoral. No contexto do GBM, destaca-se um membro do grupo de moléculas relacionadas a indução de exaustão: o ligante de morte celular programada-1 (PD-L1), superexpresso também em mais de 60% dos casos de GBM. PD-L1 interage com seu respectivo receptor de morte celular programada 1 (PD-1), localizado em LT, favorecendo a exaustão destas células. Como a CAIX e o PD-L1 encontram-se superexpressos em GBM, os mesmos tornam-se excelentes alvos para uma terapia combinada contra este tipo de tumor. Uma estratégia terapêutica de vanguarda vêm se destacando no combate ao câncer, o uso de LT contendo receptores quiméricos de antígeno (CAR - chimeric antigen receptor T cells ou CAR T) desenhados contra um antígeno tumoral. Este projeto de iniciação científica tem como objetivo avaliar a eficácia pré-clínica in vitro de células CAR T anti-CAIX de segunda geração, capazes de liberar anticorpos anti-PD-L1 no microambiente tumoral, no combate a diferentes linhagens celulares de GBM.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)