Busca avançada
Ano de início
Entree

Biomassa e biodiversidade como moduladores do funcionamento ecossistêmico

Processo: 20/10238-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2020
Vigência (Término): 30 de setembro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia de Ecossistemas
Pesquisador responsável:Vânia Regina Pivello
Beneficiário:Renato Miazaki de Toledo
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/01304-4 - Fauna em paisagens agrícolas: padrões e processos, AP.BTA.TEM
Bolsa(s) vinculada(s):21/00044-4 - Aquecimento local e permeabilidade da paisagem como direcionadores de trajetórias florestais em paisagens rurais, BE.EP.PD
Assunto(s):Sensoriamento remoto   Fitomassa   Aves   Mamíferos   Biodiversidade   Cana-de-açúcar   Eucalipto   Diversidade funcional   Angatuba (SP)   Lençóis Paulista (SP)

Resumo

O sequestro de carbono e sua fixação em biomassa primária é um processo fundamental na regulação da biodiversidade, ao iniciar o fluxo de carbono por redes tróficas. Esse processo é modulado por condições climáticas e edáficas, por atributos físicos e fisiológicos das plantas (que compõem a diversidade funcional). Por outro lado, as características de processos da cadeia trófica - tais como herbivoria, polinização e dispersão de frutos e sementes - também podem afetar a produção primária. Tais relações são altamente sensíveis à ocupação humana. A substituição de ecossistemas nativos pelos agroecossistemas, alteram a composição da comunidade primária e sua diversidade funcional, afetando a biomassa primária e a estrutura de habitats em todos os níveis tróficos. A análise do acúmulo e redistribuição da biomassa primária em diferentes escalas de espaço e tempo é uma abordagem interessante e ainda pouco explorada para nortear o manejo ambiental e a conservação da fauna nativa em ambientes antropizados. Para isso, é necessária a compreensão dos mecanismos que regem a interdependência da biomassa de fauna e flora (quantidade e qualidade). O objetivo central deste estudo é comparar a abundância e composição de comunidades aves e pequenos mamíferos, em diferentes condições de densidade e composição de biomassa arbórea, em paisagens predominantemente recobertas por monoculturas. A região escolhida para o estudo (Lençóis Paulista-SP e Angatuba-SP) se caracteriza pela transição entre a Mata Atlântica e o Cerrado e pelo contraste entre as culturas de cana e eucalipto. Nossas análises combinam dados de sensoriamento remoto e amostragem de comunidades biológicas (i.e. parcelas de arbóreas levantadas no âmbito do presente sub-projeto; aves e pequenos mamíferos amostrados por outros pesquisadores do projeto temático), além de dados secundários sobre atributos físicos das paisagens, e atributos biológicos das espécies amostradas. A análise e comparação destas bases de dados ocorrerá em quatro etapas: a) com base em estimativas de biomassa arbórea por alometria, quantificaremos e compararemos a produção de biomassa primária em paisagens dominadas pelos cultivos de cana e eucalipto; b) após modelagem espacial de biomassa primária amparada por sensoriamento remoto, investigaremos a relação entre densidade de biomassa primária e abundância dos grupos de aves e pequenos mamíferos nas paisagens estudadas; c) comparando modelos espaciais da densidade de biomassa e da distribuição de aves e pequenos mamíferos, avaliaremos a biomassa primária como preditora da composição de aves e pequenos mamíferos; d) considerando as bases de dados secundários de covariáveis ambientais e atributos funcionais, avaliaremos a interdependência entre diversidade funcional primária e a abundância de diferentes grupos de fauna. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)