Busca avançada
Ano de início
Entree

Evolução fenotípica e biogeografia dos morcegos frugívoros da subtribo Vampyressina (Chiroptera: Phyllostomidae)

Processo: 20/05008-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2020
Vigência (Término): 15 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Taxonomia dos Grupos Recentes
Pesquisador responsável:Alexandre Reis Percequillo
Beneficiário:Guilherme Siniciato Terra Garbino
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Filogenia   Biogeografia   Morcegos   Chiroptera   Phyllostomidae   Microtomografia

Resumo

A subtribo Vampyressina é um dos clados mais diversificados dentre os morcegos frugívoros da subfamília Stenodermatinae, possuindo sete gêneros classificados em 42 espécies. Estudos prévios sugeriram a existência de partição de nicho entre as espécies de Vampyressina que ocorrem em uma mesma área, visto que podem ocorrer em simpatria até 12 espécies dos sete gêneros da subtribo. Tal hipótese é parcialmente corroborada pelo fato de existir grande diferença morfológica entre os membros do clado. Uma das maneiras de verificar o papel da competição interespecífica na diferenciação morfológica do grupo é inferir a estrutura filogenética das comunidades. Outra evidência que ofereceria suporte a essa hipótese é a história biogeográfica do grupo. Além dessas fontes de evidência, análises de evolução fenotípica podem indicar o modo de evolução de caracteres morfológicos ao longo da filogenia do grupo, sendo possível verificar cronologicamente quando a divergência morfológica ocorreu. Um pré-requisito para essas análises, é uma filogenia datada e contendo o maior número possível de terminais. Diante do exposto, os objetivos desse projeto são (a) estimar as relações filogenéticas entre as espécies de Vampyressina utilizando uma amostragem densa em espécies; (b) estudar os padrões de evolução fenotípica na subtribo, utilizando dados obtidos por microtomografia; (c) inferir a história biogeográfica de Vampyressina; (d) verificar a estrutura filogenética das comunidades de morcegos frugívoros neotropicais. Os resultados obtidos irão auxiliar na compreensão de como evoluiu e se estruturou a biota neotropical e também irão fornecer subsídios para uma classificação atualizada de Vampyressina. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)