Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da inibição simpática e ativação vagal sobre os mediadores inflamatórios de ratos endotoxêmicos

Processo: 20/08312-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2020
Vigência (Término): 31 de agosto de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Helio Cesar Salgado
Beneficiário:Luiz Gustavo Silva Cesarino
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/20549-7 - Avanços na regulação cardiocirculatória em condições fisiológica e fisiopatológica, AP.TEM
Assunto(s):Fisiologia cardiovascular   Síndrome de resposta inflamatória sistêmica   Mediadores da inflamação   Barorreflexo   Lipopolissacarídeos   Modelos animais de doenças
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:barorreflexo | Coarctação da aorta abdominal | Inflamação sistemica | Lipopolissacarídeo | Fisiologia Cardiovascular

Resumo

Pacientes hipertensos, além de apresentarem disfunção barorreflexa exibem um perfil inflamatório aumentado, sugerindo uma possível correlação entre a integridade da função barorreflexa e o sistema imune. Apesar de estudos do nosso laboratório terem mostrado o papel anti-inflamatório do barorreflexo, nenhum estudo foi conduzido explorando a ativação reflexa fisiológica do barorreflexo, em contraposição à sua ativação direta, em modelos experimentais de inflamação sistêmica. A coarctação da aorta abdominal (CAA) é uma técnica capaz de promover a ativação reflexa fisiológica do barorreflexo e pode contribuir para o melhor entendimento do potencial anti-inflamatório do barorreflexo. Assim, o presente estudo tem por objetivo avaliar o efeito da ativação fisiológica do barorreflexo, por meio da CAA em ratos não anestesiados, na resposta inflamatória sistêmica induzida pela administração de lipopolissacarídeo (LPS); assim como examinar as possíveis alterações na pressão arterial e na frequência cardíaca decorrentes da instalação da inflamação sistêmica e/ou da CAA. Para isso, sob anestesia, ratos Sprague-Dawley terão um oclusor posicionado ao redor da aorta abdominal, e a carótida e veia femoral serão canuladas. No dia seguinte, com os animais não anestesiados, serão registrados os parâmetros hemodinâmicos (pressão arterial e frequência cardíaca), realizada a CAA durante 120 s e, em seguida, administrado LPS (1,5 mg/kg, i.v.), ou salina. O registro dos parâmetros hemodinâmicos será realizado até 90 min após a administração de LPS, ou salina. Serão coletadas amostras de sangue e do baço para análise de citocinas plasmáticas e esplênicas.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)