Busca avançada
Ano de início
Entree

Determinação eletroanalítica de bloqueadores dos canais de cálcio fazendo uso de polímeros de impressão molecular

Processo: 20/04268-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2020
Vigência (Término): 30 de junho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Pesquisador responsável:Luís Francisco Moreira Gonçalves
Beneficiário:Heitor Gabriel Martins Sposito
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:18/14425-7 - Um novo rumo sinérgico para a microextração por difusão gasosa (GDME) fazendo uso de polímeros com impressão molecular (MIPs), AP.JP
Assunto(s):Insuficiência cardíaca   Impressão molecular   Seletividade   Diltiazem   Sensores eletroquímicos   Eletroquímica   Eletroanalítica

Resumo

Neste projeto pretende-se desenvolver polímeros com impressão molecular (MIPs - do inglês molecularly imprinted polymers) por eletropolimerização para o desenvolvimento de sensores analíticos portáteis, visando à análise de compostos químicos, especificamente, bloqueadores de canais de cálcio, como o diltiazem. Diltiazem é um fármaco que pertence ao grupo das benzotiazepinas, um tipo de bloqueadores dos canais de cálcio que agem como vasodilatadores, reduzem a frequência cardíaca e desaceleram a condução aurículo-ventriculo. O diltiazem é um antianginoso (reduz as dores fortes no peito), anti-hipertensivo (dilata os vasos sanguíneos reduzindo a pressão arterial) e antiarrítmico (estabiliza o ritmo do coração). Como é eliminada pela urina, se tem uma grande gama de amostras, além de se tornar possível o controle da dosagem do mesmo em seres humanos, já que em altas concentrações o diltiazem pode vir a causar diminuição das batidas do coração, bloqueio atrioventricular (fechamento dos átrios e ventrículos que dão passagem para a circulação do sangue no coração), insuficiência cardíaca (mau funcionamento do coração), hipotensão (pressão muito baixa). O uso de MIPs é reconhecido como um dos métodos mais rápidos (em particular por eletropolimerização) e poderosos para a criação de receptores sintéticos, já que é uma técnica usada para projetar receptores artificiais com uma alta seletividade e especificidade para um determinado analito, por conta de ter a propriedade de copiar receptores biológicos naturais como anticorpos e enzimas.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)