Busca avançada
Ano de início
Entree

Idosos que cuidam de outros idosos: um estudo sobre sobrecarga e fragilidade

Processo: 20/07919-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2020
Vigência (Término): 31 de outubro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Enfermagem - Enfermagem de Saúde Pública
Pesquisador responsável:Ariene Angelini dos Santos Orlandi
Beneficiário:Marcela Naiara Graciani Fumagale Macedo
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Geriatria   Enfermagem geriátrica   Idosos   Fragilidade   Cuidadores   Qualidade de vida   Vulnerabilidade social   Inquéritos e questionários   Estudos transversais

Resumo

A tarefa de cuidar pode surgir repentinamente, sem nenhum preparo prévio ou apoio, resultando em intensa sobrecarga, especialmente para idosos cuidadores. Estudiosos afirmam que essa tensão psicológica pode culminar no desenvolvimento da fragilidade. Tanto a sobrecarga quanto a fragilidade podem impactar a qualidade de vida dos envolvidos e interferir na qualidade do cuidado oferecido, especialmente em contextos de alta vulnerabilidade social. Com a identificação precoce de ambas as condições, intervenções podem ser pensadas a fim de reduzir os gastos com serviços de saúde e melhorar a qualidade de vida desses indivíduos. Objetivo: analisar a relação entre sobrecarga e fragilidade de idosos cuidadores de idosos. Método: estudo transversal, quantitativo, a ser realizado em um município do interior paulista. Trata-se de um recorte de um estudo maior, do qual participarão idosos com idade igual ou superior a 60 anos, cadastrados em USFs e que cuidam de idosos (n±120). Os critérios de inclusão serão: ser o cuidador primário de um idoso; ser familiar do idoso cuidado; desempenhar informalmente a tarefa de cuidar; morar no mesmo domicílio que o idoso cuidado; e estar cadastrado em uma USF inserida em contexto de alta vulnerabilidade social. Serão excluídos aqueles que apresentarem dificuldades de comunicação em decorrência de graves déficits auditivos e/ou visuais. Os dados serão coletados no domicílio do idoso cuidador, no período de janeiro a abril/2021, por estudantes previamente treinados, com os instrumentos: questionário para caracterização do idoso cuidador e do contexto do cuidado, Inventário de Sobrecarga de Zarit e Fenótipo de Fragilidade proposto por Linda Fried. Análises descritivas e correlacionais serão realizadas. O teste Kolmogorov-Smirnov será utilizado para verificar a aderência ou não à distribuição normal das variáveis e definir o uso de testes paramétricos ou não paramétricos. O nível de significância adotado será de 5% (p<0,05).

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)