Busca avançada
Ano de início
Entree

Os francos e a primeira cruzada na Dei gesta per Francos (1108-1109)

Processo: 20/05496-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2020
Vigência (Término): 31 de agosto de 2021
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História Antiga e Medieval
Pesquisador responsável:Marcelo Cândido da Silva
Beneficiário:Eric Cyon Rodrigues
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):História medieval   História antiga   Historiografia   Francos   Cruzadas   Interpretação   Análise do discurso

Resumo

A Primeira Cruzada foi um evento que atraiu o interesse de muitos historiadores ao longo dos séculos. Autores de diversas regiões e diferentes períodos escreveram obras a seu respeito numa tentativa de compreender as suas causas e a sua natureza. Não tardou para que as primeiras crônicas medievais surgissem com o intuito de interpretar e utilizar a expedição para defender ideias e construir discursos históricos. Guiberto de Nogent foi um dos primeiros a fazê-lo quando escreveu a Dei Gesta per Francos entre os anos de 1108 e 1109. Crescido e educado em um monastério da Ordem de São Bento, o abade decidiu rescrever o relato da expedição a partir de uma crônica que considerou mal escrita, a Gesta Francorum, cujo autor supostamente teria participado do evento e teria decidido narrar o que testemunhou. Contudo, ao reescrevê-la, Guiberto produzia sua própria interpretação dos eventos, propondo-se, por meio de fontes, a descrever e explicar um passado do qual ele não fez parte, colocando-se como intermediário entre os acontecimentos e os leitores. O nosso objetivo é investigar a sua interpretação do evento. Buscaremos compreender quais os cuidados e as escolhas metodológicas que Guiberto teve para construir, a partir de suas fontes, um relato coeso com uma interpretação geral daquilo que seria chamado posteriormente de Primeira Cruzada. Estaremos atentos a maneira pela qual o abade utilizou o passado para enaltecer os francos, grupo ao qual ele se identificava, conferindo-lhes o protagonismo na expedição. Assim, contribuiremos para compreender a construção de discursos históricos na obra de Guiberto de Nogent.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)