Busca avançada
Ano de início
Entree

Inibição quimiogenética da parte juxtadorsomedial da área hipotalâmica lateral na defesa social

Processo: 20/09269-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2020
Vigência (Término): 30 de abril de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Anatomia
Pesquisador responsável:Simone Cristina Motta
Beneficiário:Alisson Pinto de Almeida
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/18667-0 - Manipulando o circuito neural da defesa social, AP.JP
Assunto(s):Neuroanatomia   Estresse   Comportamento defensivo animal   Mecanismos de defesa   Hipotálamo   Hipocampo   Análise genética   Modelos animais de doenças

Resumo

A capacidade de perceber diferentes tipos de estímulos aversivos e responder a eles de forma adequada é essencial para a sobrevivência de um indivíduo. Na presença de alguma ameaça, os animais podem vir a responder com um conjunto restrito de respostas (e.g freezing, upright e fuga), as quais são classificadas como comportamentos defensivos. Compreender como diferentes estruturas estão organizadas de forma a definir quais respostas são mais adequadas a diferentes estímulos é muito importante para uma melhor compreensão das bases neurais do comportamento animal. Um estímulo comum durante o confronto entre coespecíficos é a presença de um limite físico e psicológico, o que caracteriza o encurralamento. Trabalhos previamente realizados em nosso laboratório sugerem que, em camundongos C57Bl/6, um circuito septo-hipocampal-hipotalâmico pode responder a presença de limites, contribuindo com a organização de comportamentos defensivos em situações como o estresse social e de restrição. Essa via compreenderia a região juxtadorsomedial da área hipotalâmica lateral e regiões do sistema septo-hipocampal, onde estão localizadas as Boundary vector cells (importantes para o reconhecimento de limites do ambiente, como um agressor, durante o encurralamento, ou as paredes de um tubo). Com o intuito de compreender o papel do circuito septo-hipocampal-hipotalâmico na modulação da resposta de defesa social, pretendemos avaliar os efeitos comportamentais e de ativação neural da inibição quimiogenética do LHAjd de camundongos C57Bl/6 submetidos ao paradigma intruso-residente.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)