Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização da atividade antitumoral entre a interação entre células tronco mesenquimais e células do melanoma oral canino

Processo: 20/02255-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2020
Vigência (Término): 31 de julho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Pesquisador responsável:Carlos Eduardo Fonseca Alves
Beneficiário:Teng Fwu Shing
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Oncologia veterinária   Melanoma   Microambiente tumoral   Células-tronco mesenquimais   Citocinas   Antineoplásicos   Sistema imune   Terapia baseada em transplante de células e tecidos   In vivo   Técnicas in vitro

Resumo

Diversos estudos têm demonstrado a importância do microambiente tumoral para o desenvolvimento e progressão do tumor, o que torna imprescindível a busca por novos meios que impeçam seu desenvolvimento. A utilização de células tronco mesenquimais (CTMs) como medida terapêutica para diversos tumores tem demonstrando resultados dúbios e pouco incisivos quanto a sua capacidade terapêutica. Estudos in vivo e in vitro sugerem que há um efeito antitumoral próprio a partir dessa interação, porém outros demonstram aumento tumoral quando se utiliza esse modelo terapêutico, o que torna necessário mais estudos para compreensão de sua dinâmica com as células tumorais e o seu microambiente. O melanoma canino tem sido alvo de abordagens imunomodulatórias a fim de intensificar a resposta antitumoral do sistema imune e induzir a regressão do câncer. As CTMs possuem diversas propriedades imunomodulatórias a partir da liberação de inúmeras citocinas, podendo promover a supressão ou estimulação do sistema imune tornando a sua relação extremante complexa e dependente do microambiente que está envolvido. Esse estudo visa compreender o relacionamento entre as CTMs e o melanoma canino promovendo mais esclarecimento da dinâmica entre elas e seus efeitos na atividade antitumoral do linfócito T a partir da co-cultura de células de melanoma canino (MeLn e TLM-1), células tronco mesenquimais advindas do tecido adiposo de cães e linfócitos T isolados de amostras de sangue periférico.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)