Busca avançada
Ano de início
Entree

Farinha de batata doce (Ipomoea batatas) como fonte de amido em alimentos extrusados para cães

Processo: 20/04122-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2020
Vigência (Término): 31 de maio de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária
Pesquisador responsável:Aulus Cavalieri Carciofi
Beneficiário:Jhennifer de Castro Fenerick
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Assunto(s):Nutrição animal   Digestibilidade   Palatabilidade   Amido   Batata-doce   Ipomoea batatas   Cães   Análise de variância

Resumo

Com o crescimento, aumento da competitividade e humanização dos cães, alimentos com apelos especiais e funcionais têm crescido no mercado. Dentre estes, as rações grain free, com substituição de cereais por leguminosas e tubérculos são hoje importante parcela dos novos lançamentos de rações. Neste contexto, a batata-doce (Ipomoea batatas) apresenta-se com ingrediente interessante, sendo emprega em alimentos grain free, apesar de não se localizar estudos para cães sobre esta matéria prima na literatura científica. O objetivo deste trabalho será avaliar o efeito de inclusões crescentes de batata-doce, adicionadas em substituição à quirera de arroz como fonte de amido para cães, sobre a digestibilidade dos nutrientes, formação de fezes e palatabilidade das rações. O estudo incluirá 4 rações, para isto 1 dieta controle à base de quirera de arroz será formulada para manutenção de cães (FEDIAF, 2018) e 3 dietas tratamento serão produzidas pela substituição de 33%, 67% e 100% da quirera de arroz por farinha integral de batata-doce. Os demais ingredientes da fórmula não serão alterados. As rações serão extrudas na Fábrica de Rações da FCAV/Unesp. Serão empregados 24 cães beagle adultos, saudáveis. Estes serão divididos em 2 blocos completos casualizados de 12 cães, com 3 cães por ração em cada bloco totalizado 6 repetições experimentais (cães) por ração. Cada bloco terá a duração de 20 dias, sendo do 1º ao 14º dia adaptação ás dietas e do 15º ao 20º dia coleta total das fezes para o ensaio de digestibilidade, com os animais alojados individualmente em gaiolas metabólicas. A palatabilidade dos alimentos será testada pelo teste de duas vasilhas, em canil habilitado com no mínimo 38 animais por comparação. Os resultados serão submetidos à análise de variância, considerando-se os efeitos de bloco, ração e animal. Havendo diferenças no teste F, médias serão comparadas por contrastes polinomiais em função do teor de inclusão de farinha de batata-doce. Para a todos os testes será considerada significância de 5%.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)