Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência do glicocálix e da coroa proteica nos processos de adesão extracelular e internalização celular de nanopartículas de poliestireno

Processo: 19/20362-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2019
Vigência (Término): 01 de janeiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biofísica - Biofísica Celular
Pesquisador responsável:Alioscka Augusto Sousa
Beneficiário:Isabela Ferreira de Assis
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Nanotecnologia   Nanopartículas   Portadores de fármacos   Matriz extracelular   Poliestirenos   Endocitose   Internalização   Albuminas

Resumo

Nas últimas décadas, diversos estudos têm sido realizados com a finalidade de caracterizar e entender as biointerações de nanopartículas sintéticas (NPs) com as células. Por exemplo, grande parte dos trabalhos nessa área busca compreender melhor sobre os fatores que influenciam na internalização celular das NPs visando sua utilização mais eficaz e racional como carreadores de fármacos ou outros compostos em aplicações biomédicas. Ou ainda, no campo da biologia celular, NPs têm sido empregadas como sistemas modelo e ferramentas poderosas na obtenção de maior conhecimento sobre a endocitose celular. Entretanto, um aspecto que tem sido negligenciado nos estudos sobre a endocitose das NPs diz respeito a interação das mesmas com o glicocálix. Isso é surpreendente considerando-se a extensão do glicocálix de > 1 mM, sua carga altamente negativa, e sua complexidade bioquímica e estrutural. É razoável supor que o glicocálix possa agir tanto no sentido de dificultar quanto de facilitar a endocitose dependendo das características físico-químicas das NPs. Diante das considerações acima, o presente trabalho tem como um dos objetivos compreender o papel do glicocálix nos processos de adesão extracelular e internalização celular de NPs de poliestireno. Células CHO normais e mutantes deficientes da síntese do glicocálix serão utilizadas nos estudos. Os ensaios serão realizados na presença de albumina a fim de que as NPs sejam recobertas por uma coroa homogênea de proteínas. A coroa será caracterizada quanto à quantidade de albumina adsorvida, seu grau de aderência e conformação estrutural. Os resultados obtidos serão analisados em conjunto e utilizados na construção de um modelo de interação das NPs com as células levando-se em conta explicitamente o papel do glicocálix e da coroa proteica nas interações. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)