Busca avançada
Ano de início
Entree

O papel de gelatinases de vesículas extracelulares na invasão de células tumorais em normóxia e hipóxia

Processo: 19/05149-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de julho de 2019
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Heloisa Sobreiro Selistre de Araújo
Beneficiário:Bianca Cruz Pachane
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Neoplasias mamárias   Células tumorais   Invasão celular   Hipóxia   Vesículas extracelulares   Metaloproteinases da matriz   Gelatinases

Resumo

O câncer de mama é a principal causa de mortalidade em mulheres brasileiras, especialmente em decorrência da metástase. Nesse processo, células tumorais perdem adesão ao tecido, adquirem fenótipo mesenquimal e invadem tecidos adjacentes ou migram para sítios distantes. A invasão celular é dependente da interação entre receptores de adesão e componentes da matriz extracelular (MEC), a qual é constantemente remodelada pelas células do tecido. As MMPs são enzimas de processamento da MEC com alta expressão na carcinogênese, especialmente a classe das gelatinases (MMP-2 e MMP-9), que atua na degradação da lâmina basal e promove o início da invasão celular. MMPs podem ser secretadas em vesículas extracelulares (EVs), estruturas de comunicação intercelular com papel relevante na progressão metastática. Quando secretadas em EVs, MMPs atuam de forma mais concentrada, promovendo aumento da invasão celular. Na hipóxia, condição recorrente durante a progressão tumoral, há aumento da secreção de EVs, mas pouco se sabe sobre seu efeito na composição proteica de EVs tumorais. Utilizando-se de métodos para detecção proteica (Western blot, imunoprecipitação e análise proteômica) e determinação de atividade gelatinase (ensaio de degradação de gelatina e zimografia), pretende-se identificar possíveis alterações na composição proteica de EVs secretadas por células tumorais de mama triplo-negativas, em situações de hipóxia e normóxia, bem como verificar a contribuição de MMPs vesiculares na invasão celular tumoral. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)