Busca avançada
Ano de início
Entree

Da performatividade à melancolia: narrativas de resistência e ação em Judith Butler

Processo: 18/19391-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2019
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Filosofia - Ética
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Nathalie de Almeida Bressiani
Beneficiário:Michele Teixeira Bonote
Instituição-sede: Centro de Ciências Naturais e Humanas (CCNH). Universidade Federal do ABC (UFABC). Ministério da Educação (Brasil). Santo André , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):19/23375-6 - Performatividade e Agência: a dimensão psíquica da identidade, BE.EP.MS
Assunto(s):Pós-estruturalismo   Feminismo   Teoria crítica   Performance (arte)   Subversão

Resumo

Em Problemas de Gênero, Judith Butler parte de uma análise do poder de matriz foucaultiana para problematizar a centralidade concedida à categoria "mulheres" dentro da política representativa feminista. Para sustentar essa posição, ela realiza uma genealogia dessa categoria, retomando os discursos de poder que estruturaram a concepção de identidade como pré-requisito metodológico e normativo da política. Ao fazer isso, a autora rejeita a distinção sexo/gênero, mostrando como o "sexo" é também uma categoria culturalmente construída, e reformula a concepção de gênero como performativa, em defesa de uma política subversiva imanente de ressignificação das normas hegemônicas de gênero. Esta posição rendeu inúmeras críticas e interpretações diversas sobre as (im)possibilidades de resistência e ação em sua teoria. Após três anos da publicação de seu livro, Butler lança Corpos que importam, no qual resgata a teoria do ato de fala de Derrida para reavaliar a performatividade como citacionalidade/iterabilidade, que repensa o conceito de agência independente da ficção de um sujeito pré-existente. No entanto, é somente em 1997, com o livro A Vida Psíquica do Poder, que Butler retoma a discussão sobre o paradoxo da agência. Neste livro, a filósofa aprofunda sua explicação através da psicanálise e, principalmente, do processo da melancolia, para mostrar como as normas sociais são incorporadas e ressignificadas psiquicamente. Em um movimento que vai da performatividade à melancólica, passando pela citacionalidade, esta dissertação empreende uma reconstrução que retoma e analisa os caminhos e conflitos teóricos pelos quais a teoria da performatividade de Butler passou ao longo dos anos de 1990, buscando esclarecer e aprofundar sua compreensão sobre as narrativas de resistência e ação de uma política performativa subversiva. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)