Busca avançada
Ano de início
Entree

Seriniquinona e seu derivado LT406 como agentes antimelanoma em modelos experimentais

Processo: 18/07661-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2018
Vigência (Término): 30 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Bioquímica e Molecular
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Leticia Veras Costa Lotufo
Beneficiário:Amanda Soares Hirata
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/17177-6 - Abordagem integrada na prospecção sustentável de produtos naturais marinhos: da diversidade a substâncias anticâncer, AP.BTA.TEM
Assunto(s):Melanoma   Oncologia experimental   Autofagia
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Autofagia | Dermicidina | melanoma | Seriniquinona | Oncologia experimental

Resumo

O câncer é a segunda principal causa de morte hoje no mundo, tornando importante o desenvolvimento de novos fármacos e o estudo das bases moleculares da tumorigênese. Através da bioprospecção de metabólitos secundários de micro-organismos, a seriniquinona (SQ) foi isolada de uma bactéria marinha do gênero Serinicoccus. Estudos posteriores mostraram que SQ regula a expressão do gene da dermicidina (DCD), proteína de função ainda não esclarecida na neoplasia, e induz a morte celular por autofagia com seletividade para células de melanoma, o mais agressivo dos cânceres de pele. Estudos mais recentes, junto ao derivado sintético da SQ nomeado de LT406, foram avaliados a citotoxicidade, a formação de colônias e o ciclo celular em linhagens de melanoma com as mutações mais recorrentes: BRAFV600E e NRAS. Com resultados promissores, ambas as substâncias apresentaram potencial anti-tumoral, sendo necessários mais estudos referentes ao mecanismo de ação. Além disso, no presente projeto também será abordado o tratamento de células de melanoma resistentes ao vemurafenibe (PLX4032), fármaco usado hoje na clínica onde a quimiorresistência é muito relatada. Serão realizados ensaios in vitro para avaliação da toxicidade e do mecanismo de ação com especial ênfase na participação da proteína dermicidina nos mecanismos de quimioressistência e na ação da SQ. Também serão realizados estudos in vivo a partir de modelo xenográfico. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
HAMMONS, JUSTIN C.; TRZOSS, LYNNIE; JIMENEZ, PAULA C.; HIRATA, AMANDA S.; COSTA-LOTUFO, LETICIA V.; LA CLAIR, JAMES J.; FENICAL, WILLIAM. Advance of Seriniquinone Analogues as Melanoma Agents. ACS Medicinal Chemistry Letters, v. 10, n. 2, p. 186-190, . (16/10854-5, 18/07661-6)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.