Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do processo autofágico lisossomal no tecido muscular esquelético de ratos submetidos a suplementação de ácido graxo ômega-3 (EPA/DHA) associado ou não com a administração de dexametasona

Processo: 17/26321-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2018
Vigência (Término): 31 de março de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Edmar Zanoteli
Beneficiário:Felipe Pereira da Silva
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Atrofia muscular   Glucocorticoides   Ácidos graxos ômega-3   Suplementação alimentar   Dexametasona   Modelos animais

Resumo

Atrofia muscular esquelética pode ocorrer por inúmeros processos fisiológicos ou patológicos do organismo, como envelhecimento, jejum prolongado, câncer, septicemia ou, ainda, pelo uso de glicocorticoides. Os glicocorticoides sintéticos são amplamente empregados na prática clínica sendo uma das causas mais comum de miopatia por droga, ativando diversos sistemas de degradação muscular principalmente os sistemas da ubiquitina proteasomo e lisossomal. Diversos compostos terapêuticos têm sido testados com o intuito de prevenir a atrofia muscular induzida pelos glicocorticoides, entretanto, algumas sem sucesso e outros como o ômega-3, mostram-se potencializadores da atrofia muscular causada pelo glicocorticoide. Uma vez que o ômega-3 foi demonstrado como um potencializador de atividade lisossomal em outros tecidos, sua associação com dexametasona (indutora de atividade autofágica muscular) poderia gerar um resultado negativo muscular. Objetivos: Objetivou-se avaliar o impacto da suplementação de ômega-3 (EPA/DHA) sobre o sistema autofágico/lisossomal durante o processo de atrofia muscular causado por dexametasona em ratos. Metodologia: Metodologicamente, 60 ratos Wistar machos com idades entre 10 e 12 semanas foram separados em dois grupos (30 animais cada) que receberam ou não n-3 (100mg/kg/dia) via gavagem por 40 dias. Nos últimos 10 dias de suplementação, 20 animais de cada grupo receberam dexametasona (Dx) por via subcutânea nas dosagens de 2,5 ou 1,25mg/kg/dia para indução de atrofia muscular, sem suspender a suplementação com n-3, estabelecendo assim 6 grupos: Controle; n-3; Dx1,25mg; Dx2,5mg; Dx1,25mg+n-3; e Dx2,5mg+n-3. Após o período experimental os músculos tibiais anteriores foram coletados para análise histológica de fosfatase ácida e avaliação proteica por western blotting para expressão de P-62 e LC3 1 e 2. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)