Busca avançada
Ano de início
Entree

Remodelamento cardíaco de ratos espontaneamente hipertensos: papel do treinamento físico associado ou não com perindopril

Processo: 18/02021-9
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2018
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Sandra Lia do Amaral Cardoso
Beneficiário:Melissa Ganeko Ligeiro
Instituição Sede: Faculdade de Ciências (FC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Bauru. Bauru , SP, Brasil
Assunto(s):Fisiologia do exercício   Hipertensão   Cardiomegalia   Exercício físico   Tratamento farmacológico   Remodelação ventricular   Modelos animais de doenças   Análise experimental   Análise de variância   Teste de Tukey
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:exercício físico | Hipertrofia cardíaca | inibidores da ECA | Fisiologia do Exercício

Resumo

Dentre as várias consequências da hipertensão arterial (HA), as doenças cardiovasculares são as que mais matam no mundo inteiro. Fatores como hipertrofia cardíaca, aumento de fibrose e redução da densidade capilar no miocárdio estão envolvidos. Ratos espontaneamente hipertensos (SHR) desenvolvem um remodelamento cardíaco devido à HA e, neste sentido, vários tratamentos farmacológicos e não farmacológicos vêm sendo utilizados. Dentre os fármacos da classe dos inibidores da enzima conversora de angiotensina II (iECA), o perindopril tem se mostrado muito eficiente na melhora da HA e do remodelamento cardíaco. O treinamento físico (TF) aeróbio, por sua vez, vem sendo utilizado como tratamento não farmacológico e é também eficaz em melhorar o remodelamento cardíaco e reduzir pressão arterial (PA), no entanto, quase nada se sabe sobre a associação desses tratamentos. O objetivo será verificar os efeitos do TF aeróbio, associado ou não ao tratamento farmacológico com perindopril sobre o remodelamento do miocárdio de ratos espontaneamente hipertensos (SHR). Serão utilizados SHR divididos aleatoriamente em 5 grupos: sedentário controle (SC, n=10), sedentário + perindopril (SP, n=10), treinado controle (TC, n=10) e treinado + perindopril (TP, n=10), além de ratos Wistar normotensos como controle. O TF aeróbio na esteira ergométrica será de 8 semanas a 60% da capacidade máxima, 5 dias/semana 1 hora/dia. Os grupos SP e TP serão tratados com perindopril (3mg/kg por dia, via gavagem) durante todo o protocolo experimental. Os grupos SC e TC serão tratados com salina. Ao término do período de tratamento farmacológico e TF, será feita a medida de velocidade da onda de pulso e os animais serão cateterizados para verificação da PA direta e, em seguida, eutanasiados. O miocárdio será retirado para análises histológicas com tricromico de masson. A análise estatística utilizada será análise de variância (ANOVA) de um caminho, com post-hoc de Tukey (p<0,05).

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)