Busca avançada
Ano de início
Entree

Éticas-estéticas-políticas das (homos)sexualidades, gêneros e homofobia na cinematografia africana e asiática (fase IV)

Processo: 17/26431-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2018
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Social
Pesquisador responsável:Fernando Silva Teixeira Filho
Beneficiário:Giovanna Martins Remelli
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Letras (FCL-ASSIS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Assis. Assis , SP, Brasil
Assunto(s):Identidade de gênero   Gêneros (grupos sociais)   Sexualidade   Diversidade sexual   Homossexualidade masculina   LGBTQIA+   Heteronormatividade   Crítica cinematográfica   Análise do discurso   Filmes

Resumo

Buscamos traçar um panorama ético-estético-político das dissidências aos padrões heteronormativos sobre sexualidades e identidades de gênero descrevendo os modos de constituição da homos, lés, bis e transfobias e as formas pelas quais delas se escapa. Este projeto é a última fase de três outras que o precederam e que tiveram como foco a cinematografia produzida nas Américas Latina, Anglofônica e Europa. Nesta IV e última fase do projeto, centraremos nossos esforços nos filmes produzidos no continente Africano e Asiático, também no período de 1990 a 2010. Metodologia: a partir da cinematografia produzida nas décadas de 1990 a 2010 nos países africanos e asiáticos, apresentadas na explosão dos festivais de filmes LGBTs, mais especificamente, o MixBrasil da Diversidade, empreenderemos uma análise das linhas discursivas éticas-estéticas-políticas que sustentam as expressões das homossexualidades, em especial as masculinas, enquanto tecnologias de gênero e poder. Para tal, usaremos a análise de conteúdo como ferramenta que dará suporte às interpretações de filmes selecionados, os quais serão interpretados a partir dos Estudos Culturais, de Gênero e Queer. Resultados esperados: espera-se compreender como, nestas duas décadas, foi-se produzindo, nesse contexto, transgressões aos modelos binários de homo/heterossexual, homem/mulher e masculino/feminino, de modo a estabelecer relações entre essas novas expressões estéticas (queer), a produção de identidades LGBTs e seus diálogos com a psicologia. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)