Busca avançada
Ano de início
Entree

Parcerias público-privadas e provisão habitacional no estado de São Paulo: entre o interesse social e a lógica imobiliária-financeira

Processo: 16/24182-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2017
Vigência (Término): 31 de agosto de 2018
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Fundamentos de Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:Paula Freire Santoro
Beneficiário:Pedro Henrique Rezende Mendonça
Instituição-sede: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Habitação social   Parceria público-privada   São Paulo

Resumo

As parcerias público-privadas se disseminaram no Brasil nos anos 2000, derivando do regime de concessão. O modelo foi implementado pela primeira vez em ações de provisão habitacional em São Paulo, com a PPP Habitacional do centro. É possível observar como a inclusão dos interesses da iniciativa privada nos processos de planejamento urbano desse período compete com as possibilidades de atendimento a necessidades sociais reais, colocando os projetos em função da sua possibilidade de exploração econômica. No atual cenário de crise econômica e fiscal, a escolha política pelas PPPs como alternativa ao desenvolvimento se difunde entre as práticas de gestão. O modelo é cada vez mais motivador de uma transformação institucional e contratual, que gera resultados socioterritoriais - abre frentes de expansão, determina morfologias e tipologias contraditórias quanto à sua capacidade de combate às disparidades sociais no espaço urbano. No caso da PPP Habitacional, estudos anteriores mostram um impasse na possibilidade de garantir o atendimento às faixas de renda mais baixas ao mesmo tempo que se garante o retorno financeiro ao parceiro privado. Com vistas a uma difusão da utilização de PPPs para viabilizar políticas de provisão habitacional em São Paulo, este projeto de pesquisa propõe-se a acompanhar o desenvolvimento desses projetos de parceria, estudando quais são as variáveis políticas, econômicas, jurídicas e sociais que interferem - e como interferem - na tipologia arquitetônica e urbana das habitações construídas e na indicação da demanda a ser atendida. Para isso, indicam-se casos implementados e em elaboração tanto pelo Governo Estadual paulista quanto pela Prefeitura Municipal de São Paulo, no âmbito de seu novo Plano Municipal de Habitação, em tramitação. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)