Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel do microRNA-146a e seu gene alvo vasorina no remodelamento da artéria carótida após lesão por cateter balão: efeito terapêutico do treinamento físico aeróbico

Processo: 16/26156-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de junho de 2017
Vigência (Término): 31 de março de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Edilamar Menezes de Oliveira
Beneficiário:Noemy Pinto Pereira
Instituição-sede: Escola de Educação Física e Esporte (EEFE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Biologia molecular   Bioquímica   Reestenose coronária   Treinamento aeróbio   Vasorina

Resumo

A reestenose é uma resposta fibroproliferativa que acontece na parede dos vasos após uma lesão mecânica, geralmente seguido do procedimento de angioplastia, ocasionado por obstrução vascular. O remodelamento do vaso, causado pela angioplastia é proliferação, crescimento e migração das células do músculo liso da camada média para íntima, acompanhado por fibrose, acarretando em hiperplasia da neoíntima e estreitamento o lúmen vascular. Os microRNAs (miRNA) vêm sendo amplamente estudados como biomarcadores, empregados na lesão vascular, abrindo perspectivas terapêutica para o tratamento de doenças. O miRNA-146a tem ganhado destaque nas doenças fibroproliferativa, uma vez que regula genes alvos envolvidos nesse remodelamento. Um modulador de expressão de miRNAs é o treinamento físico (TF), que também vem sendo estudado como terapia não farmacológica para doenças cardiovasculares, no qual induz diversas adaptações. Portanto, para testar nossa hipótese de que o TF aeróbico altera a expressão do miRNA-146a e de seu gene alvo vasorina na artéria carótida de ratos lesionados com cateter balão, utilizaremos real time PCR para analisar expressão gênica e Western Blotting para analise da expressão proteica da artéria carótida lesionada, e assim analisar se um dos mecanismos de reparo desses vasos ocorre por meio da interação entre vasorina e a via TGF-², verificaremos se esses mecanismos contribuem para regressão da hiperplasia da neoíntima após lesão vascular. Para isso utilizaremos um protocolo de TF aeróbico (natação) de moderada intensidade e utilizaremos 4 grupos de ratos Wistar: Lesionado com cateter balão treinado (LT), lesionado (L) e seus respectivos controles. Durante o período experimental será registrado: peso corporal, pressão arterial, frequência cardíaca de repouso e avaliação do esforço físico máximo. Após a eutanásia, serão retiradas as artérias carótida para realização da histologia e avaliar a espessura da média e íntima. Para análise da citrato sintase, será retirado músculo esquelético, para validação do treinamento aeróbio e também serão realizadas análises da expressão do miRNA-146a e seu gene alvo vasorina e via de sinalização fator de transformação do crescimento beta (TGF-²) e sua expressão proteica. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
PEREIRA, Noemy Pinto. Papel do microRNA-146a e seu gene alvo vasorina no remodelamento da artéria carótida após lesão por cateter balão: efeito terapêutico do treinamento físico aeróbico. 2020. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Escola de Educação Física e Esportes (EEFE/BT) São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.